Home / Contos / A Grande Maça – Capítulo 32 – O Dia

A Grande Maça – Capítulo 32 – O Dia

Eu tinha aceitado se casar com Warren e nós combinamos que no próximo fim de semana viajaríamos para Vegas e nos casaríamos lá mesmo. Não queríamos fazer um reboliço todo por um casamento, iriamos apenas nós dois e passaríamos o fim de semana por lá.

Uma semana depois do sexo selvagem eu e Warren recebemos os resultados dos exames e estávamos limpos, com muita sorte é claro. Na terça feira eu estava preparado para ir á escola e seria minha primeira aula de Stan depois de todo o ocorrido. Eu encontrei Marley na entrada e logo estávamos na aula.

– Quando vocês vão se casar? – falou Marley enquanto entrávamos.

– nesse sábado, nós vamos para Vegas.

– parece coisa de filme. – falou Marley sorrindo.

– na verdade poderíamos ir apenas a um cartório e pronto, mas nós queríamos viajar para algum lugar e decidimos ir para Vegas já que eu nunca fui ele queria ir para lá comigo.

– pena que eu não posso ir ver vocês se casarem;

– ele me fez jurar não contar pra ninguém, apenas nós dois deveríamos saber.

Nós logo entramos na sala de aula e iniciamos o dia. A última aula do dia era de Stan. Mais uma vez ele ficava me dando olhares e ás vezes rindo pra mim, alguma coisa me dizia que que ele planejava alguma coisa comigo e essa seria a hora da verdade.

Depois das aulas decidi ser o último a sair, pois precisava abrir o jogo para Stan. Por volta dás 23:20 saiu o último aluno ficando apenas eu e Stan na sala de aula.

– e ai cara beleza? – falou Stan guardando os materiais.

– vou indo e você? – falei me levantando e colocando a mochila nas costas.

– parece que você entendeu os olhares que eu dei pra você durante a aula. Está preparado para hoje a noite?

– na verdade professor queria conversar com o senhor exatamente sobre isso.

– vamos pular as formalidades, me chame de você afinal você é amigo íntimo do meu pau – falou ele pegando no volume que começava a se formar em sua calça jeans.

aquilo me deu nojo e eu sempre achei que apenas os homens héteros podiam ser tão nojentos quanto ao palavreado ao falar com uma pessoa tentando impressioná-la.

– na verdade hoje não vai rolar nada.

– não vai demorar – falou Stan – se quiser nós fazemos no carro mesmo assim seu namorado não corre o risco de desconfiar.

– não posso – falei.

– tudo bem – falou Stan dando uma pausa – deixamos para amanhã.

– na verdade professor, não vai rolar nada entre nós, nunca mais.

– como é que é garoto? – perguntou Stan parecendo sarcástico e um pouco alterado.

Eu fiquei de frente pra ele.

– isso mesmo que você ouviu. – respondi a altura.

– então vamos ver o que seu namorado vai achar quando descobrir sobre seu passado e seu presente é claro, porque você transou comigo.

– ele já sabe – falei de uma vez – eu contei tudo pra ele. Sobre eu ter sido garoto de programa, sobre suas ameaças.

– mentira – falou Stan.

– quer pagar pra ver? – falei – é só chegar nele e contar e você vai cair à cara. Eu sei que eu não vou mais me encontrar com você e como eu disse antes, se não quer perder o emprego é melhor ficar longe de mim.

Eu tentei me virar e Stan agarrou meu braço e veio com o rosto para cima de mim tentando me dar um beijo.

– tira a mão dele – falou uma voz.

Nós dois olhamos e era Marley.

– o que você está fazendo professor?

– Marley o que faz aqui? – perguntei.

– eu vim ver porque você estava demorando.

Marley entrou na sala.

– O Warren está lá fora te esperando e me pediu para vir aqui.

Stan continuava segurando meu braço.

– por favor senhorita White, eu e o senhor Thompson estamos conversando.

– você ouviu a moça, tira a mão dele – falou Warren entrando na sala.

Eu forcei o braço e finalmente eu estava livre. Eu fui andando e dei um beijo no rosto do Warren.

Warren foi em direção ao Stan e eu fiquei ao lado de Marley.

– se você encostar a mão nele outra vez eu vou arrancar seus dois braços. – falou Warren.

– quero ver você tentar. – respondeu Stan o desafiando.

– se você gosta do seu emprego é melhor esquecer isso tudo.

Nós todos nos viramos e saímos da sala. Todos um pouco nervosos, Warren levou Marley até em casa e logo Warren e eu chegamos em casa.

Nós nos deitamos e eu deitei de conchinha com meu homem que me amava e tinha feito tudo por mim.

No sábado acordamos bem cedo e saímos a caminho de Vegas em Nevada. Viajamos algumas horas até que chegamos ao hotel que Warren encontrou como um dos melhores e feito ás reservas. Dormimos um pouco a tarde e a noite fomos a procura de uma capela para nos casarmos. Logo pegamos as alianças e depois de um pouco de espera nós nos casamos e pela primeira vez nos beijamos como maridos e saímos para o bar do hotel aonde estávamos hospedados para uma pequena comemoração.

Nós nos sentamos no bar e pedimos uma bebida à música estava alta e depois de uns drinks estávamos animados. Estávamos sentados um do lado do outro conversando. Logo percebi que havia dois homens nos encarando provavelmente querendo algo, nós não demos bola e continuamos conversando sobre o quanto nos amávamos.

– eu te amo Warren – falei dando um selinho na boca dele.

– eu também te amo – falou ele colocando um cigarro na boca. Ele acendeu e assoprou a fumaça e eu pedi outro drink para nós dois. Nós bebemos e assim que terminamos eu cheguei perto do Warren e senti o perfume no pescoço dele.

– vamos pro quarto – falei para ele.

Nós então fomos em direção ao quarto, entramos no elevador e a porta se fechou e estávamos apenas nós dois eu o abracei e o coloquei na parede e alisei o rosto dele enquanto nós nos beijávamos na boca.

Logo chegamos no nosso andar e fomos para o quarto.

Eu tranquei a porta e Warren abriu um vinho que tinha na cabeceira da cama e tinha também uma caixa de charutos e ele pegou um e acendeu se sentando na cama. Ele assoprou a fumaça.

– ele se sentou na poltrona que tinha na sala e esticou as pernas. Eu me sentei no sofá e fiquei olhando pra ele.

– Warren olhou o charuto assoprou a fumaça e tomou um gole de vinho.

– então é assim? – falei tirando o meu sapato. – a gente acabou de casar e você já está sentado em uma poltrona, fumando seu charuto e bebendo sozinho? Será que agora eu devo ir para a cozinha preparar o jantar?

– nossa amor me perdoa – falou Warren descendo as pernas e se ajeitando na poltrona e abrindo as pernas. – senta aqui comigo.

Eu me levantei e se sentei entre as pernas dele sentindo o pau duro nas minhas costas. Ele me puxou e me fez escorar nele.

Eu fechei os olhos e enquanto segurava o charuto com a mão direita com a esquerda Warren começou a alisar o meu pau me fazendo ficar excitado. Eu abri o zíper da minha calça e tirei meu pau pra fora e começou a me masturbar.

– Warren que delícia. – eu alisava as pernas dele enquanto sentia a mão quente de Warren me masturbando.

– está gostoso? – perguntou Warren dando um beijinho na minha orelha.

– delicia – falei suspirando de tesão – deixa eu chupar seu pau. – falei me levantando.

– você não consegue ficar longe dele né? – falou Warren dando uma tragada e assoprando a fumaça. – ele deve ter um mel pra te atrair tanto.

– um mel melhor do que o da abelha.

Eu me ajoelhei e abri i zíper dele tirando o pau duro pra fora eu encarei aquele mastro reluzente e antes de enfiar tudo na boca chupei a cabecinha para lubrifica e logo comecei a mamar gostoso na rola dele.

– olha pra mim enquanto mama gostoso na minha rola – ele disse isso e eu olhava pra ele enquanto chupava gostoso o pau dele enfiando até a garganta e logo tirando tudo deixando cheio de baba.

Eu mamei a rola dele por muito tempo e logo me levantei e fui até a boca dele e dei um beijo gostoso e quente.

Eu então fui até o quarto e peguei um lubrificante picante que tinha lá e fui até a sala e passei no pau dele. Eu tirei minha calça e afastei a cueca para o lado e coloquei a cabecinha bem na entrada do meu rabo e comecei a sentar. Começou a arder, um ardor com um frescor que me possuiu e naquele momento eu sentei de uma vez e fiz Warren gemer alto. Ele colocou o charuto na boca e com as duas mãos segurou minha cintura e começou a bombar forte

– me come gostoso.

– você ama o pau do seu macho? Gosta que seu macho te arrombe?

– amo – eu falei isso enquanto me masturbava. Ele então pegou o charuto e assoprou a fumaça.

Eu cavalguei mais um pouco até que Warren me mandou levantar.

– tira a roupa e vem aqui que eu vou mamar sua pica gostosa.

Eu tirei a roupa e fiquei do lado esquerdo da poltrona com o pau duro perto da cara dele e Warren deu uma tragada no charuto e segurou com a não direita e assoprou a fumaça e se virou pro meu pau e começou a chupar gostoso, sua boca era quente e deliciosa e mamava como um bezerro. As vezes ele parava de chupar e dava uma tragada no charuto e assoprava.

– eu vou gozar. – falei fechando os olhos – para se não eu vou gozar.

– goza na minha boca – falou Warren.

Ele começou a chupar com mais força e passava a língua pela cabeça rosada do meu pau e depois de me contorcer soltei os jatos de porra na boca dele. Eu me abaixei e dei um beijo de língua e nós dividimos toda a porra na boca dele até que ficou limpinho eu fui até o pau dele que ainda estava duro como pedra e sentei outra vez e comecei a cavalgar e logo Warren gemeu e eu senti as estocadas aumentarem e os jatos de porra entrando no meu rabo e me inundando. Eu continuei sentado por um tempo até que o pau ficou mole dentro do meu rabo e Warren assoprou pela última vez a fumaça do charuto ates de apagar.

Eu me levantei e peguei a mão esquerda do Warren e fiz com que levantasse e o guiei até a cama ele se deitou na cama e eu me deitei ao lado dele.

– eu te amo – falei para Warren.

– eu também te amo.

Nós ficamos deitados apenas um pouco, planejava tomar um banho antes dormir, mas antes que percebesse sentindo o calor do corpo do meu homem eu adormeci.

About gayson

Check Also

Confusões no Colegial – Capítulo 10 – Gripe

−Perfeitos. Simplesmente perfeitos (suspiros). Aqueles abdomens malhados, braços musculosos e os bumbunzinhos… (mordisca os lábios …

One comment

  1. Adorei pf continua mostrei a minha prima e ela adorou a historia ela viciou na historia e amou os personagens amo vcs bjos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *