Home / Contos / A Grande Maça – Capítulo 30 – O Momento Certo

A Grande Maça – Capítulo 30 – O Momento Certo

Passou-se um pouco mais de duas semanas que Warren tinha descoberto que eu tinha transado com outro homem. Eu nunca faria isso outra vez, apesar dele ter deixado claro que nosso relacionamento era aberto, pelo menos por parte dele. Ele não podia descobrir que eu já fui garoto de programa. Apesar que já reconsiderava isso, afinal Warren parecia ser um homem muito liberal. Contar para ele talvez não fosse tão ruim.

Era por volta dás 17:30 quando Warren ligou para mim:

– oi amor – falei atendendo o celular.

– Fry, não vou ir embora hoje, só amanhã de manhã.

– tudo bem.

– te vejo amanhã amor – falou Warren – beijo.

– beijo, te amo. – respondi desligando o celular.

Eu desliguei o celular e decidi ligar para meu irmão.

– boa noite – falou Charles atendendo o celular.

– como você está? – perguntei.

– estou ótimo e você?

– ótimo, com muita saudades de você.

– e minha mãe está se sentindo bem?

– está sim.

– e meu tio?

– está ótimo.

– você e ele estão…

– sim – respondeu Charles um pouco tímido – sempre que temos a chance…

– fico feliz por vocês.

– como você está se sentindo? – perguntou Charles.

– sim, a audiência está quase chegando.

– nós todos estaremos lá – falou Charles.

– foi bom falar com você – respondi.

– até mais – falou Charles se despedindo.

– até. – falei desligando o celular.

Eu assisti um pouco de TV e depois fiz o jantar. Depois que eu jantei eu lavei todas as louças e fui assistir a um filme que iria passar no canal de TV. Um filme de terror é claro. Por volta dás 20h00min eu fui até a sala e desliguei todas as luzes e liguei a TV. O filme logo começou.

Estava tudo tranquilo, o filme já estava na metade quando por volta dás 20h50min eu ouvi o barulho do carro do Warren entrando na garagem.

– chegou cedo – falei alto. Eu me levantei e liguei a luz da sala fui garagem pela entrada do lado que dentro da casa. A porta da garagem estava se fechando. Eu só achei estranho porque o carro preto que estava na garagem não era o carro que Warren costumava usar.

Eu fiquei mais surpreso ainda porque não foi Warren que saiu do carro e sim Phil

– Phil? – perguntei supres quando ele fechou a porta e travou o alarme.

– sou eu Fry, tudo bem? – perguntou ele vindo em minha direção.

Até esse ponto eu ainda não sabia se Phil lembrava ou não de mim. Todos esse tempo já tinha se passado mais de 3 meses e até o momento ele não tinha demonstrado que se lembrava de mim.

– o que você faz aqui – falei estendendo a mão e apertando a mão dele.

– Warren me ligou, estava preocupado de você passar a noite sozinho e pediu para que eu viesse dormir aqui para te fazer companhia.

– não precisava falei enquanto chegávamos na sala.

– nossa – falou Phil – acho que vou embora então.

– você entendeu – falei sentando no sofá com tom de brincadeira.

– também estou brincando. – falou Phil

– mas você não tem namorada? Em uma sexta-feira a noite você provavelmente gostaria de passar um tempo com ela.

– que nada – falou Phil tirando os sapatos – eu preciso de uma folga dela.

Eu apenas olhei para a televisão e vi que o filme continuava a passar.

– o que você está assistindo? – perguntou Phil .

– um filme de terror, “A Morte do Demônio”, curte terror?

– um pouco – falou Phil. Ele foi até a geladeira e pegou uma latinha de cerveja e voltou para a sala, tirando os sapatos com as meias e se esticando no sofá colocando suas pernas sobre as minhas.

Dei uma olhada pra ele e olhei para a televisão.

– espero que o Warren não se importe – falou Phil – ou que você se importe, se quiser eu tiro.

– não tem problema – falei tentando parecer o mais natural possível.

Por volta das 22h00min o filme acabou e eu me levantei do sofá morto de cansado me esticando.

Phil também se levantou.

– você já vai se deitar? – perguntou Phil acendendo um cigarro.

– não tenho certeza, na verdade eu não queria, mas não tem mais nada pra fazer.

Ele assoprou a fumaça.

Eu me levantei e fui até a cozinha coloquei um copo de água, tomei e voltei para a sala e me sentei na outra ponta do sofá de três lugares. Phil apagou o cigarro e ficamos assistindo um pouco de TV.

Será que ele não se lembra de mim? – pensei. “ele deve ter amnésia, mesmo que eu não tenha significado nada ele deveria se lembrar de mim.”

O relógio marcou 22:35 quando eu desisti e me levantei. Phil tinha tomado 3 latinhas.

– cansei de assistir TV. Vou me deitar – falei me despedindo. Eu comecei a andar e quando passei em frente a Phil ele colocou a mão na minha cintura e me fez cair sentado entre as pernas dele.

– relaxa – falou ele massageando meus ombros de leve e logo parando – você está muito estressado.

Eu não sabia o que fazer então decidi levar na brincadeira, afinal ele provavelmente estaria brincando.

– que nada, você que é muito chato – falei em tom de brincadeira.

– é mesmo? – perguntou ele.

– é sim – falei esperando pela resposta.

– levanta um pouquinho – falou ele colocando as mãos na minha cintura e me fazendo levanto um pouco. Ele chegou um pouquinho pra frente e me fez sentar outra vez, mas dessa vez sentei coma bunda em cima do seu pau que pra minha surpresa estava duro como pedra. O pau dele ficou exatamente o meio da minha bunda e Phil o esfregou bem devagar na minha bunda enquanto minhas duas mãos repousavam em seus joelhos.

– e agora? Continuo chato? – perguntou ele em um tom de brincadeira.

– um pouquinho – falei me levantando bem devagar e me virando para olhar pra ele.

– o que foi? – perguntou ele com um sorriso no rosto.

– pensei que você fosse hetero – perguntei ainda com tom de brincadeira.

– eu sou – falou ele rindo – só que agora eu sei que você não acha Warren chato, de fato quando o dia está chato é só se esfregar no Warren que melhora – falou ele rindo.

– o que? – falei rindo e me sentando do lado dele. – tenho que admitir isso é verdade.

Ficamos em silêncio por alguns segundos e eu resolvi quebrar o gelo afinal ele tinha acabado de esfregar o pau duro em mim então achei que tinha a liberdade para perguntar o que eu quisesse.

– posso te fazer uma pergunta? – falei.

– você já fez – respondeu ele.

– vou te fazer mais uma – falei relutante – você é tem certeza que não é gay?

– o que? – perguntou ele.

– claro, eu não sei se você estava só brincando, mas eu senti seu pênis bem duro.

– cara não viaja – falou ele se arrumando no sofá levando tudo numa boa – essa excitação não é pra você é pra minha namorada.

– desculpa a pergunta é que nem o pênis do Warren fica tão duro quanto o seu está.

– quer saber? Se você quer pegar no meu pau eu deixo – falou ele abrindo as pernas – mas não precisa ficar falando que eu gosto de homens, sem preconceito. – ele terminou de falar isso rindo.

– sabe que às vezes eu acho que te conheço de algum lugar? – perguntei jogando verde para ver se ele entendia a indireta.

– eu também – falou Phil – desde o dia que eu te vi eu tenho isso na minha mente, mas acho que você deve ser parecido com alguém quem conheço, só isso.

– provavelmente – respondi. Realmente Phil não se lembrava de mim.

– você não tem nenhum preconceito? – perguntei.

– cara, já tive, mas mudei muito desde que conheci Warren e Homer. Eles realmente são dois caras incríveis.

– fico feliz por você ter vencido o preconceito.

– também fico. – ele disse isso terminando de beber a latinha de cerveja que estava com ele. – pega outra pra mim – falou ele.

Eu fui até a cozinha pensando no que estava acontecendo. Phil realmente não se lembrava de mim e estava jogando esse papo de heterossexual pra cima de mim. Na verdade ele estava louco por mim, mas estava levando tudo na brincadeira para não dar muito na cara e é claro, eu namoro o sócio dele.

Eu voltei e entreguei a latinha pra ele.

– nossa já são 23:05 – falei olhando para o relógio.

– porque a pressa? – perguntou ele. – sou chato mesmo hein?

– que nada – falei me sentando no sofá.

– sabe o que pode fazer para passar o tempo? – perguntou ele tomando um gole e dessa vez ele tinha baixado um pouco o tom da voz.

– o que? – perguntei.

– chupar meu pau – falou ele.

Eu fiquei olhando pra ele com cara de que não tinha entendido.

– engraçadinho – falei levando na brincadeira.

– não estou brincando – falou ele alisando o volume que estava voltando a se formar. – se você quiser é claro.

Eu fiquei olhando pro volume e pra cara dele de sem vergonha em me oferecer aquilo.

– vai lá cara, não sei como funciona com você e o Warren, mas não vou ver minha namorada hoje à noite e talvez só a verei na terça ou quarta e você quer que eu resolva o problema com as próprias mãos? – ele fez sinal de masturbação quando disse essa frase.

– não vou fazer isso, eu namoro seu melhor amigo.

– cara eu não vou te comer, é só uma chupada até eu gozar, seria apenas uma ajuda. – falou ele tomando um gole enorme da cerveja.

– não vou fazer isso – falou apontando para as latinhas. – você está bêbado e quando se lembrar disso amanhã provavelmente vai morrer de vergonha.

Eu sabia que ele não estava bêbado, mas precisava me livrar daquela situação de qualquer jeito.

– bêbado? – falou ele. – estou longe disso. – ele disse isso se aproximando um pouco de mim no sofá. – vai cara, por favor. – ele disse isso dando um soco de leve no meu braço como se fôssemos amigos á muito tempo.

Eu confesso que estava tentando, eu não faria aquilo, mas eu estava excitado por Phil, Warren nunca saberia daquilo, apesar de ter liberado, Warren não poderia saber já que Phil era heterossexual. Pelo menos Warren e Homer achavam que sim.

– tudo bem – falei.

– sério? – ele falou isso animado com um sorriso no rosto se ajeitando no sofá ele desabotoou a calça jeans e abriu o zíper. – não quero te obrigar a nada.

– você não está me obrigando – falei me ajoelhando no chão e tirando toda a calça dele. Ele então ficou com uma cueca branca volumosa.

– tem alguma regra? – perguntei colocando a mão no volume massageando. – afinal você é hetero tem algo que não quer que eu faça.

– não – ele falou fechando os olhos e levando a cabeça pra trás morrendo de tesão – pode chupar gostoso e se quiser alisar minha barriga ou meu peito pode. Eu só não beijo, não como, não dou e nem encosto no seu pau.

– ok – falei descendo a cueca e ficando de cara com a rola que eu lembrava bem. Era branca e tinha a cabeça rosada média, tinha o corpo grosso e era tão branca que se conseguia ver umas vais azuis e roxas. Eu então lambi o pau antes de colocar na boca. Eu molhei meus lábios e chupei a cabecinha o pau dele babou na hora. Ele estava quase gozando.

– você está mesmo com tesão – falei.

– não te disse? – falou ele.

Eu então chupe ia cabecinha e logo comecei um vai e vem bem vagaroso sentindo o gosto do seu pau profundamente na minha garganta. Eu não chupava por um período grande porque ele poderia gozar a qualquer momento e eu queria aproveitar aquela rola naquele momento.

Enquanto mamava deliciosamente sua rola coloquei minha mão direita por baixo da camisa e senti seu peito peludo.

– que gostoso – falou ele – que boca molhada – falou ele. – você chupa melhor que minha namorada.

Eu então comecei a mamar bem rápido e nessa hora Phil segurou minha cabeça e começou a foder minha boca. Eu massageava as cochas enquanto ele fodia minha boca me fazendo engasgar.

O pau dele estava cheio de baba minha. Eu então lambi o pau dele e deixei o mais limpinho que eu consegui.

– me faz gozar – falou ele – deixa eu encher sua cara de porra.

– espera só um pouquinho – falei me levantando. Eu não queria que ficasse só naquilo e não podia dar muito na cara afinal era só um “favor”, eu não poderia me mostrar muito interessado.

Eu me virei e fingi que tinha perdido o equilíbrio e cai no colo dele. Na verdade eu cai sentado no sofá entre as pernas dele, sue pau ficou bem nas minhas costas

– opa, te peguei – falou Phil me segurando pela cintura.

– obrigado – falei olhando pra trás.

Ele ficou me olhando sem dizer nada e eu também fiquei encarando ele por uns 10 segundos ele então me deu um selinho rápido na boca.

– pensei que não beijasse – falei.

– desculpa – falou ele.

– não tem problema – falei dando um selinho na boca dele. – é só um selinho, não é como beijar outro homem.

– cara, acho melhor pararmos por aqui, acho que vou me deitar – falou Phil sem terminar a frase.

– porque? – perguntei – sou tão chato assim? – perguntei em tom de brincadeira.

– digamos que sim – falou Phil.

Eu me apoiei nas pernas dele e me levantei um pouco e sentei em cima do pau dele e esfreguei minha bunda no pau dele bem devagar.

– ainda sou chato? – perguntei.

Ele não respondeu nada.

– você quer me comer Phil? – perguntei.

– que isso Fry, não, já te disse – falou Phil.

– se quiser me foder é só me falar eu deixo, você é muito gostoso – falei.

– sério? – perguntou ele surpreso.

– sim.

Eu me levantei e tirei minha camisa e minha bermuda e fiquei apenas de cueca azul. Mandei Phil levantar os braços e tirei a camisa dele.

Mandei Phil continuar sentado e sentei no colo dele de frente para ele de modo que minha bunda ficou bem em cima do pau dele.

Eu me atrevi a dar um selinho e Phil correspondeu com outro e logo ele mesmo enfiou a língua na minha boca e começamos a dar um beijo gostoso e lento de modo que ele dava reboladas louco para que eu tirasse a cueca e metesse logo no meu rabo.

– deixa eu te foder. – falou Phil louco.

– afasta minha cueca com a mão. – falei para Phil e ele afastou minha cueca para o lado direito e com as duas mãos ele abriu bem meu rabo. – cospe na minha mão.

Ele cuspiu na minha mão e usei o cuspe para lubrificar meu rabo. Eu passei no meu rabo e arrumei a pica bem na portinha e logo comecei a forçar.

– Haaaa – exclamou Phil enquanto sua pica entrava no meu rabo. – que delicia de rabo.

– que pau gostoso – falei enquanto forçava para entrar. Doía bastante afinal o pau dele era grande e tinha sido lubrificado apenas com cuspe. Logo eu forcei e entrou e uma vez e minhas pernas amoleceram da dor que senti

Phil exclamou um grito outra vez me abraçou forte tentando me acalmar e que a dor iria passar logo.

– me fode – falei na orelha dele e Phil me obedecendo começou a bombar forte e rápido. Eu sentia meu rabo pegando fogo a medida que era deflorado por aquela pica deliciosa.

– não vou aguentar vou gozar – falou Phil.

– aguenta ai – falou Warren entrando pela porta.

– Warren? – exclamou Phil parando na hora.

– o que foi? – perguntou Warren. – não parem agora que eu vou entrar na brincadeira.

– não é o que está pensando – falou Phil.

– não penso nada Phil – falou Warren, não me interessa o que você fode, homem ou mulher. O que me interessa é que você está fodendo meu namorado e eu apenas quero participar.

Warren tirou a roupa e colocou a perna esquerda em cima do sofá e ficou com o pau já duro bem no meu rosto. Eu peguei o pau dele com minha mão esquerda e comecei a acariciar.

– nossa, mas que pau duro, veio se masturbando de lá até aqui?

– eu estava com tanto tesão que não estava me concentrando no trabalho então tive que vir embora pra te foder.

Eu então cai de boca no pau dele e comecei a chupar o pau babado.

– não precisa ficar com vergonha, pode foder ele falou Warren para Phil que começou a me foder outra vez, dessa vez bem devagar para não gozar.

Eu mamei bastante na rola do Warren e tive uma ideia. Eu tinha que aproveitar aquele momento para abrir o jogo.

Eu dei um selinho no Phil e sai de cima dele e abracei Warren e dei um selinho na boca dele.

– Warren eu posso ligar para que uma pessoa venha até aqui?

– mais um? – perguntou Warren apertando seu pau no meu. Eu me virei e fiquei de costas pra ele. Warren apertou o pau na minha bunda e rebolava bem de leve. – pensei que você tinha ciúmes de me dividir.

– do Phil e da pessoa que eu vou ligar eu não tenho.

– pode ligar então. – falou Warren.

– obrigado falei me virando e dando um beijo de língua nele. Eu aproveitei para masturba-lo enquanto o beijava.

– aonde você vai? – perguntou Phil.

– logo eu já volto. Warren sentou do lado dele e eles ficaram de pau duro esperando eu voltar.

Eu fui até o quarto subindo as escadas e peguei o celular e liguei para o Homer. O telefone chamou e logo ele atendeu.

– alô – falou Homer.

– olá Homer. Reconhece quem está falando com você? – falei.

– claro que sim Fry. – falou Homer – o que aconteceu? É um milagre estar me ligando.

– na verdade eu preciso que você pare o que está fazendo e venha a casa do Warren.

– porque? O que aconteceu?

– não se preocupe não é nada de grave, mas eu preciso que você venha agora e venha sozinho.

– tudo bem – falou Homer.

Eu desliguei o celular e voltei para a sala. Warren e Phil continuavam sentados um do lado do outro.

– agora você come – falei sentando no colo do Warren de frente para ele e logo já estava com o pau dele afundado em mim, Phil se levantou e colocou sua rola na minha boca. Ele me deu de mamar gostoso em sua rola majestosa e quente.

– que delicia – falei sentindo o pau do Warren entrar e sair do meu rabo, o que deixou meu pau babado.

Phil começou a foder minha boca e depois de um tempo parou, pois estava quase gozando.

– que rabo quente – falou Warren parando de me foder e logo em seguida eu sai de cima dele e sentei no meio dos dois.

– pra quem você ligou? – perguntou Warren curioso.

– você vai ter que esperar pra ver.

Eu então fiquei de quatro no sofá na transversal, desse modo fiquei com o pau do Phil na boca e com meu rabo na cara do Warren que deu mordidinhas e começou a dar tapas de leve. Eu mamei a rola do Phil com gosto, por uns 10 minutos sentindo a língua quente do Warren invadir meu rabo.

Eu ouvi o barulho de um carro parando logo na porta.

– ele chegou – falei tirando o pau do Phil da boca e me levantando para abrir a porta.

– você não vai vestir roupa? – perguntou Warren?

– não precisa. Ele é tão tarado que é capaz de me comer na porta mesmo.

Eu fui até a porta e olhei e logo constatei que era Homer mesmo.

– Warren por favor não faça perguntas apenas continue na brincadeira que depois eu explico tudo.

Assim que eu abri a porta Homer deu um sorriso pra mim me vendo todo pelado.

– então é isso? – falou ele me agarrando na porta mesmo e me dando um beijo quente. Ele fechou a porta e se escorou nela me dando um beijo quente. Homer nem notou que Warren e Phil estavam no sofá vendo tudo.

Assim que ele parou de me beijar ele olhou para o sofá e ficou paralisado vendo aquela cena.

– o que está acontecendo aqui? – perguntou Homer.

– não pergunte nada, apenas me fode – eu falei isso abrindo a braguilha dele e tirando sua rola que já estava meia bomba e me ajoelhei e abocanhei seu pau gostoso com gosto. Mamei igual uma bezerra esperando pelo leite.

– delicia – falou Homer.

Depois que o pau estava duro eu me levantei e apenas me virei e enfiei a rola de uma vez no meu rabo.

– Haaa – exclamou Homer quando a rola entrou de uma vez. Ele começou a me foder. Enquanto ele me fodia eu olhava para Warren e Phil se masturbando no sofá vendo aquela cena. Warren devia estar confuso por vero irmão fodendo o namorado, mas ele não parou a brincadeira.

Depois de um tempo Homer tirou o pau do meu rabo e foi andando em direção ao sofá arrancando a roupa até que ficou com sua rola de fora e ele sentou entre Phil e Warren.

Eu olhei para aquela cena e vi meus três machos de pau duro me esperando para foder no sofá.

Eu me ajoelhei em frente ao Homer e cai de boca no pau dele e peguei o pau de Phil e do Warren com minhas mãos e comecei a masturba-los. Os três estavam loucos de tesão e só se ouvia gemidos naquele local.

Eu me levantei e sentei no pau do Homer e comecei a cavalgar. Eu gemia e logo Warren se levantou e veio com seu pau em minha boca e eu comecei a mamar o pau dele bem gostoso.

Phil ficou sentado apenas se masturbando.

– Phil vem aqui – falei puxando ele pelo pau até que ele se levantou e chegou perto o suficiente para eu chupá-lo. Warren então levantou minhas pernas em frango assado e tentou forçar sua pica junto com a do irmão tentando me fazer dupla penetração. Eu fechei os olhos com a pica do Phil na boca e senti meu rabo sendo rasgado enquanto a pica do Warren entrava. Logo a pica dele estava dentro de mim e os dois começaram a me foder vagarosamente. Eu mamava Phil como se fosse um doce suculento envolto de um chocolate saboroso.

Depois de uns 15 minutos daquela situação eu pedi para que tirassem os paus de dentro de mim e me levantei e sentei no colo do Phil e logo Homer enfiou a pica dentro do meu rabo e eu fiz dupla penetração nos dois enquanto eu mamava a rolado Warren.

Depois de um tempo naquela posição eu me sentei no sofá exausto.

– estou com câimbra em todo corpo, você estão literalmente fodendo comigo. – falei ofegante.

– o bebê está cansado? – perguntou Homer.

– estou – falei – o que papai vai fazer pra me acalmar? – perguntei.

– hora do leitinho – falou Phil.

Então eu me ajoelhei no chão e esperava receber o leite dos meus três machos. Eu mamei as três rolas alternadamente e logo abri a boca e esperei pelas gozadas. Phil se masturbou primeiro e não demorou para que eu sentisse sua gala quente entrando na minha boca. Algumas jorradas foram até minha testa e um pouco no meu cabelo. Ele realmente tinha gozado forte. Ele gemeu como um urso. Eu não engoli e mantive a porra na boca esperando pelo próximo

Depois foi Warren que se masturbou e ele mirou dentro da minha boca e torra a porra foi pra dentro da boca, talvez porque ele estava acostumado a me dar de mamar todo dia, mas ele acertou tudo dentro. Ele bateu o pau meio mole na minha cara e logo veio Homer.

Ele se masturbou por um longo tempo. Eu alisava suas bolas esperando por sua porra e logo senti uma esporrada no meu olho e logo Homer tratou de mirar certo e as outras jorradas foram pra dentro da boca.

Eu peguei no pau dele meio mole e o masturbei um pouco.

– agora é sua vez – falou Warren começando a me masturbar e depois de alguns segundos gozei na mão dele, foi meio litro de porra, eu estava muito excitado e meu pau doida porque a goza saiu queimando. Ele então levou a mão cheia de porra até minha boca e despejou.

– agora bebe tudo – falou Warren – hoje você foi nossa putinha e para confirmar isso você deve beber nosso leite.

Eu então fechei a boca engoli poda a porra deles e logo abri a boca mostrando que tinha engolido tudo.

Os três se sentaram no sofá e eu me levantei e deu um beijo de língua no Warren e alisava sei peito suado com meus dedos, depois no Homer dei um beijo de língua e apalpei seu peitoral suado e sarado, de todos ele era o que tinha o corpo mais definido. Fui até Phil e o beijei também e o masturbei, de todos era o que tinha a pica mais grossa.

Eu me sentei do lado de Homer e Warren.

– agora você nos deve algumas explicações – falou Warren olhando para o irmão.

– tudo bem – respondi.

Era hora de todos saberem meu passado e especialmente contar sobre o professor tarado que me ameaçava.

About gayson

Check Also

Confusões no Colegial – Capítulo 10 – Gripe

−Perfeitos. Simplesmente perfeitos (suspiros). Aqueles abdomens malhados, braços musculosos e os bumbunzinhos… (mordisca os lábios …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *