Home / Contos / Desejos de Colégio – Capítulo 5 – Algumas semanas Depois

Desejos de Colégio – Capítulo 5 – Algumas semanas Depois

As semanas foram passando e eu não sabia o que era mais decepcionante: o fato de que Rodrigo me ignorava completamente ou que eu não conseguia me interessar por mais ninguém além dele. A época de provas já estava começando e eu não precisava me preocupar muito já que dominava a maioria dos conteúdos, afinal, as únicas coisas que iam bem eram minhas notas e amizades com as meninas. Além disso eu e Leandro estávamos cada vez mais próximos, o tratamento dele com o Roacutan estava adiantando muito. Os colegas dele pararam de incomodá-lo e até umas meninas de sua turma já estavam de olho, mas ele não se interessou por nenhuma. Não sabia se ele era gay ou não, mas não parecia nem tinha falado nada do gênero.

Já tinha passado 1 mês do meu beijo com Rodrigo e nada de novo acontecia. Claro, eu ainda observava os meninos depois dos treinos de quarta e como Rodrigo sempre estava junto tinha que ser mais discreto pro caso dele explodir em mim. Uma das coisas que mudou foi a maneira que Matheus começou a me tratar. Nada muito exagerado e querido, mas ele começou a me dar oi educadamente desde aquele dia que Rodrigo me destratou.

Ele não era muito alto, tinha 1,72 mas seu cabelo loiro e olhos claros chamavam atenção. Seu corpo também era preenchido por pelos loiros e tinha uma bunda deliciosamente grande. Ele demorava muito no banho, todos os meninos já estavam se vestindo e ele ainda estava se ensaboando. Talvez seja pois vestia terno para trabalhar no escritório de seu pai logo depois da E.F.

Falando em educação física, o professor Fábio estava animado com nosso progresso, com isso nos inscreveu em um torneio de Xadrez no mês seguinte e por isso decidiu marcar uma partida de Xadrez em sua casa todo domingo até o dia do torneio. Nunca tinha reparado em Fábio direito, mas quando ele sugeriu o torneio (sendo em outra cidade) minha mente fértil já viajou para vários pensamentos impróprios. Fabio tinha 1,80 com um corpo muito definido e lisinho. Tinha cabelos e pele morena e estava sempre de calção de jogo, não importa onde o encontrava. Um desses dias vi ele no mercado com a mesma roupa. A única diferença era a mulher ou namorada que o acompanhava. Depois que o vi no mercado decidi parar de imaginar coisas impróprias, afinal era meu professor e namorava uma mulher.

FÍSICA

Era quinta-feira e estávamos na aula de física e o professor sugeriu fazermos a prova da semana seguinte em duplas. A notícia ruim é que de novo não poderíamos escolher. Dessa vez foi sorteio e acabei sorteado com uma das meninas riquinhas e irritantes da sala. Como o professor estava anotando um por vez, ela e a amiga dela vieram pedir pra trocarmos. Como ela era irritante eu falei “tudo bem” e então troquei. Acabei sendo jogado com uma das meninas geeks que também pediram para trocar. Minhas amigas tiveram sorte de ficar entre elas então nem pude me juntar.. No fim das contas parei lá no fundo com o Matheus. Na hora que ia trocar com o Douglas para que pudessem ser parceiros o professor chegou na mesa e tivemos que sentar juntos.

Rodrigo pareceu incomodado, mas não me olhou direito para eu entender. Deve estar com medo de perder um dos muchachos. Não entendi como ciúmes. Falei pro Matheus que poderíamos estudar juntos se quisesse. Ele respondeu que sim, que adorava física. Falei de cara que não era minha preferida mas que eu tentaria o meu melhor. Ele riu e comentou que melhor que qualquer amigo dele eu seria.

Aquilo era inédito. Algum dos muchachos falando mal de um dos outros? Era realmente um milagre. Continuamos combinando como faríamos para estudar e trocamos número de celular para conversar por mensagem. Seria mais fácil de escolher um dia bom para ambos. Matheus era legal, mesmo. E ficar olhando naqueles olhos azuis me distraiam um pouco dos castanho escuros do Rodrigo.

As vezes eu olhava para frente, onde ele estava com Gabriel. Ele espiava de canto de olho ou era impressão? Não sabia dizer. O sinal bateu e voltei com minhas amigas para o pátio, onde conversamos um pouco. Estava cansado, com dor de cabeça e com fome, então fui para casa caminhando lento para demorar mais e conseguir pensar um pouco.

NOITE

Não adiantou muito, a tarde e a noite foram estranhas e eu estava bastante confuso. Quando cheguei em casa já estava escuro. Comi uma torrada e sentei na sala para ver um pouco de TV. Minha sala tem uma sacadinha que fica de frente para o prédio vizinho. Em uma janela desse prédio, dois homens de aproximadamente 35 anos se beijavam de cueca. Desliguei todas as luzes para não ser pego e fiquei observando. O máximo que cheguei perto disso foi por pornografia online ou na minha imaginação. E eu sabia desde cedo que as coisas eram muito diferentes ao vivo. Acho que haviam esquecido da janela, pois estava fechada mas somenta a parte de vidro, e a luz (embora fraca) dava para ver tudo.

Um dos homens eu reconheci, era o Diego, o vizinho que estava fazendo doutorado aqui na cidade. Ele tinha 1,70 e tinha um corpo bonito sem ser malhado, com cabelos pretos mais compridos e bastante barba ele sempre foi um tesão. O outro homem já era bem mais alto, com uns 1,90 eu acho, um porte mais musculoso (bem de academia tipo o professor Fábio) e cabelos e pelos castanhos pelo corpo. Eles estavam ambos de cueca boxer, enquanto se tocavam.

O meu vizinho, Diego, se insinuava pro corpo do outro homem, ele ficava de costas pra ele arrebitando sua bunda. Isso já foi me dando um tesão do caralho. Já tirei meu pau pra fora e comecei a punhetar olhando os vizinhos. Diego tirou a cueca e deitou de 4 na cama. Abriu bem a bunda e o Loiro começou a chupá-la. Meu pau já estava babando muito, queria estar ali no meio, mas acho que perder a virgindade assim seria meio demais. O Loiro tirou a cueca enquanto lambia o cu de Diego.

Ambos estavam muito suados e muito duros, então ficaram de joelhos se beijando. O pau do Loiro era enorme e ele pegou um tubo (acredito que seja de lubrificante) e começou a passar em seu cu. Diego, que eu achei que era o passivo, estava colocando camisinha enquanto passava a mão no corpo do Loiro.

A visão do Diego enfiando no cu daquele Loiro enorme foi demais pra mim, gozei e ainda gemi alto, os dois olharam pra janela mas consegui me esconder. Acho que já estava bom para aquele dia. Mal podia esperar pela minha primeira vez, será que aconteceria logo? Pensava sem parar.

About gayson

Check Also

Confusões no Colegial – Capítulo 10 – Gripe

−Perfeitos. Simplesmente perfeitos (suspiros). Aqueles abdomens malhados, braços musculosos e os bumbunzinhos… (mordisca os lábios …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *