Home / Contos / Desejos de Colégio – Capítulo 29 – Um Mês Depois

Desejos de Colégio – Capítulo 29 – Um Mês Depois

Rodrigo: A sentença do Fábio saiu amor, foi feia a coisa… Ele vai ficar preso maior tempão.

Bernardo: Merecido eu diria.

Rodrigo: Claro que sim, merecido total.

O clima começou a ficar sério e eu não queria chatear Ber momentos antes do resultado do vestibular sair. Ele estava se arrumando pra gente sair para almoçar com Leandro e João que estavam na cidade então cheguei atrás dele e dei beijinhos em sua nuca.

Bernardo: hahahhahaha você sabe que isso faz cócegas…

Rodrigo: Foi de propósito, bobo.. Eu te amo, sabia?

Bernardo: Também te amo!

As coisas iam bem. Estávamos bem, tudo estava mais tranquilo. Vamos tentar passar nas mesmas faculdades e se dermos sorte ir para a mesma, Ber se inscreveu em Produção Editorial e eu em Psicologia. Matheus se inscreveu em Arquitetura e Urbanismo. Corrigimos nossas provas juntos e estávamos todos esperançosos de passar.

RESTAURANTE

Leandro levantou quando nos viu chegar, nos abraçou e João nos cumprimentou com aperto de mão. Ele era bem mais sério que Leandro, mas era um cara legal. Leandro parecia mais feliz que nunca. O almoço correu normalmente, Gabriel nos encontrou mais tarde contando que conheceu um menino, mas que estavam levando as coisas de boa por enquanto. Tentei ligar para Matheus, mas ele não me atendeu.

Bernardo: Matheus vai vir amor?

Rodrigo: Acho que não, pelo menos ele não me atendeu…

Passamos o resto da tarde com os meninos e até Guilherme apareceu por alí para dar um oi. Leandro e João tinham algumas horas de estrada pela frente então se despediram. Gabriel também foi para casa e Guilherme já tinha ido ver o namorado antes deles dois. Não conseguia parar de pensar em Matheus e parecia que Bernardo também não.

Bernardo: Estou preocupado com o Matheus…

Rodrigo: Eu acho que ele está preocupado com os resultados do vestibular…

Bernardo: Podemos ir lá?

Rodrigo: Vamos.

E ELE?

Bernardo tinha uma cópia da chave e como ele não respondeu o interfone entramos. Matheus estava dormindo no sofá, parecia bem. Bernardo foi até ele e tocou em seu braço. Matheus levou um susto e deu um tapa nele que acabou arranhando a bochecha de Bernardo, saindo um pouco de sangue. Tudo aconteceu tão rápido que nenhum de nós teve tempo de fazer qualquer coisa.

Quando Matheus viu quem éramos e viu a bochecha de Bernardo ele começou a se desculpar com voz de sono.

Matheus: Nossa, Bernardo, Rodrigo, são vocês.. Desculpa, eu fiquei assustado, acho que estava sonhando com Nicolas… O que eu fiz no seu rosto, desculpa!

Bernardo: Não, tá tudo bem.. Ei, não tem mais telefone não? Ficamos preocupados…

Rodrigo: Ber, lava seu rosto.. Tem merthiolate aqui Matheus?

Matheus: Deixa que eu ajudo… E desculpa, eu estou uma pilha de nervos com o resultado do vestibular mais tarde… Que horas são? Estou meio dormindo.

Bernardo e Matheus entraram no banheiro, Matheus pegou a caixa de remédios no armário e só ai percebi que ele estava de pijama, deve ter dormido o dia todo. Estava percebendo que ele estava estranho nos últimos dias. Enquanto ele cuidava da bochecha de Bernardo vi caixas de remédio faixa preta na gaveta entreaberta. Fiquei mais preocupado do que já estava.

Meu pai começou a me ligar então mostrei o visor para Bernardo e saí na varanda para atender.

*Perspectiva de Bernardo*

Matheus passava merthiolate na minha bochecha com muito cuidado. Fazia tempo que não o olhava tão de perto. Seus olhos azuis, cristalinos, olhavam com muita atenção o que fazia.

Matheus: Desculpa de novo Ber, foi sem querer..

Bernardo: Ei, tá tudo bem -peguei suas mãos- vai ficar tudo bem

Matheus: Você sente né?

Bernardo: Sinto que algo não vai bem contigo…

Matheus: Você sente ainda..

Ele sorriu, mas era um sorriso melancólico. Não entendi exatamente o que ele quis dizer, mas fiquei preocupado. Quando ele ia falar algo Rodrigo entrou com uma cara de chocado, o que o fez parar.

Rodrigo: Meu pai ligou para me parabenizar.. EU PASSEI!

Tanto eu quanto Matheus começamos a pular felizes junto com Rodrigo! Parte de mim queria muito saber dos meus resultados, mas aquele momento era de Rodrigo e eu estava incrivelmente feliz por ele. Fomos os três pra sala e então ficamos de frente pro computador.

Rodrigo: Ok, qual de vocês quer ir primeiro?

Bernardo: Vai você Matheus…

Matheus: Acho que o Rodrigo deveria ver que posição ele ficou, quais universidades ele foi aceito.. Já que descobriu primeiro..

Bernardo: Verdade, pode entrar aí no seu portal..

*Perspectiva de Rodrigo*

Eles eram uns medrosos. Se bem que realmente eu estava muito curioso. Estudei muito pra isso. Entrei no portal e fui aceito em 5 das 8 universidades que me inscrevi. Em colocações ótimas, sempre acima da 7 posição. Dei o computador para Matheus, pois sabia que Bernardo tinha passado e acho que ele não aguentava mais o estresse.

Matheus colocou seu login e senha e então o computador mostrou a tela.

Matheus: Eu passei? Eu passei? Eu passe?

Ele fechou os olhos assim que a tela abriu. Bernardo pegou o mouse e foi rolando para baixo. Das 8 universidades que Matheus tinha selecionado ele passou em 1, mas ele havia passado!

Bernardo: VOCÊ PASSOU MATHEUS, PODE RESPIRAR TRANQUILO.

Matheus abriu os olhos e viu em qual ele tinha passado, foi um sorriso lindo o que ele deu e seu olho começou a lacrimejar. Matheus era bonito. Ainda mais quando estava feliz.

Matheus: Era bem a que eu queria, juro. Longe, mas, bem onde eu queria ir.

*Perspectiva de Bernardo*

Dei log out na conta de Matheus e fui abrir a minha. A barra começou a carregar e não abria nunca, mas assim que abriu lá estavam, 8 faculdades inscritas, 8 chamadas de volta, 8 aprovações e delas 3 primeiros lugares. Nem eu acreditava, tudo que aconteceu comigo desde o primeiro ano e que deveria ter afetado, afetou mas de uma maneira boa, de uma maneira em que eu tinha muitas escolhas de onde ir. Eu estava tão feliz, começamos a nos abraçar e meio que chorar e então caiu a luz.

Bernardo: Foi nossa animação será?

Rodrigo: Se tivesse caído a luz alguns minutos antes a gente estaria muito agoniado…

Matheus: Nós três passamos, nós três vamos para a faculdade!

Levantamos e nos abraçamos de novo, aqueles braços me envolvendo me deram um sentimento de deja vu, o abraço começou a ficar mais e mais apertado e o roçar de barbas mal feitas começou a acontecer. Estávamos os três ali, no escuro, nada nos impedindo. Eu não sabia o que se passava na mente de Rodrigo mas eu não queria sair dali.

*Perspectiva de Rodrigo*

Era confuso, mas, eu queria e não queria estar aqui. Eu amo Bernardo e só quero fazê-lo feliz, mas uma parte de mim diz que ele nunca vai ser completamente feliz sem Matheus. Matheus faz ele feliz, me faz feliz também e me faz ficar duro. Ambos me despertam tesão, vontades. Vontades que nossos corpos juntos mostravam agora.

Ninguém dava o primeiro passo por medo dos outros, mas ninguém se atrevia a largar desse abraço quente. Começamos a nos olhar pela pouca luz que vinha do por do sol lá de fora, atrás da cortina fechada.

Então a luz voltou.

Nos soltamos e Bernardo me olhou com uma cara estranha. Eu sabia decifrar todas as suas carinhas mas essa era indecifrável. Ficamos uns 20 segundos (que pareceram 2h) em silêncio então o celular de Matheus começou a tocar.

Matheus: Alô? … Ah obrigado! Sim, estou bem feliz…

Peguei Ber pela mão e fomos para a cozinha.

Bernardo: Desculpa Rodrigo, eu não sei explicar o que aconteceu…

Rodrigo: Ei -coloquei a mão em seu queixo suavemente- tá tudo bem, eu só quero que seja feliz.

Bernardo: Você me faz feliz, eu sou feliz contigo.

Rodrigo: Eu sei mas se você achar que…

Matheus: hmm, gente, desculpa mas meus pais querem jantar comigo antes de viajar.. Eles vão visitar minha irmã no exterior e o voo deles sai as 22h, podemos comemorar outro dia? Desculpa interromper……… tá tudo bem?

Bernardo: Claro, a gente já tava indo, parabéns de novo Matt.

Rodrigo: Até mais, boa janta!

*Perspectiva de Bernardo*

No táxi de volta pra casa eu não conseguia parar de pensar que eu tava no primeiro ano de novo. Toda essa situação com Matheus era demais pra mim. Tava tudo tão bem com Rodrigo. Passamos o mês inteiro bem, nos damos tão bem. Eu não conseguia acreditar que eu iria estragar tudo isso em poucos minutos com esses pensamentos ridículos.

Rodrigo: Ei amor, que tá passando por essa cabeça?

Bernardo: Nada amor, só feliz que todos passamos…

Rodrigo: Chegou a pensar para qual quer ir? Passamos em várias iguais, podemos escolher… Claro que se você quiser ir para alguma que eu não passei..

Bernardo: Não não, eu quero decidir contigo

Rodrigo: Nós vamos dar um jeito!

Chegamos no apartamento de Rodrigo e fizemos misto quente. Depois disso fomos para o quarto e ele foi para o banheiro. Aproveitei e acendi umas velas e peguei uns cremes de massagem. Quando ele abriu a porta e viu as velas deu um sorriso grande.

Bernardo: Sua recompensa por ter passado no vestibular.

Rodrigo: Qual vai ser a sua?

Bernardo: Depois você me dá ela haha, deixa eu tirar essa camisa, tira essa bermuda e deita de costas pra cima.

Tirei a camisa dele enquanto ele tirava a bermuda. Seu corpo nunca deixou de ter um efeito grande sobre mim. Aquela linha de pelos que ia de seu umbigo até o começo da cueca ficava cada vez mais forte, assim como seus braços e seu peitoral. Ele deitou com aquela bunda gostosa pra cima e logo me sentei nela.

Peguei o creme e passei nas mãos e comecei a massagear seus ombros largos.

Rodrigo: hmmmmmmmm, massagem, como eu adoro

Continuei passando minhas mãos por seu corpo e meu pau foi começando a ficar duro. Ele sentiu isso e começou a contrair sua bunda.

Rodrigo: eu to duro também

Bernardo: deixa eu me concentrar

Rodrigo: deixo, deixo sim

Então ele se virou antes que eu tivesse reação e então eu tava sentado no seu pau duro.

Rodrigo: quero ver se concentrar agora

Passei mais creme nas mãos, tentando ignorar, e comecei a massagear seu peitoral. Fui descendo com as mãos e logo fui parar em seu pau.

Rodrigo: me chupa vai

Não resisti aquela voz safada e tirei seu pau pra fora e comecei a chupar a cabecinha. Meu pau tava explodindo na minha cueca então tirei ela e deitei ao contrário dele, colocando meu pau ao alcance da sua boca. Rodrigo começou a me chupar e gemíamos juntos enquanto um engolia o pau do outro.

Bernardo: senta na minha cara

Rodrigo: quer chupar meu cuzinho é?

Bernardo: vem

Ele levantou e se abaixou, comecei a meter a língua no seu cu delicioso. Ele ficou de joelhos e alcançou meu pau de novo, chupando-o.

Rodrigo: Quer me comer?

Bernardo: Quero, senta em mim.

Rodrigo sentou no meu pau todo babado e começou a deslizar. Quando fechei os olhos de tesão a imagem de Rodrigo, eu e Matheus nos vestiários veio a minha mente. Abri e tentei ignorar, enfiando meu pau mais fundo.

*Perspectiva de Rodrigo*

Rodrigo: Isso, enfia todo, gostoso.

Eu preferia ser ativo, mas o tesão que eu sentia em qualquer toque com Bernardo fazia dar pra ele ser uma das melhores coisas no mundo. A gente se dava bem. Mas alguma coisa nessa tarde fez a perspectiva de tudo mudar. Eu sabia que estava faltando algo.

Rodrigo: Deixa eu te comer agora, vai

Bernardo: Me come então, de 4 quer?

Rodrigo: Isso, fica de 4 pra mim

Meu pau tava explodindo de tesão e babando muito. Foi bem fácil entrar pois estava lubrificado demais até. Peguei a cintura de Bernardo e comecei a puxar pra mim, ouvindo ele gemer, puxando seu corpo até ficar colado no meu enquanto comia seu cuzinho.

Bernardo: Ai, isso assim, gostoso.

Comecei a bater punheta pra ele enquanto enfiava mais fundo.

Bernardo: Eu vou gozar, vou gozar

Rodrigo: Goza, goza, vou gozar em ti..AHHHH, ahhh, gostoso!

Deitamos na cama e ficamos nos fazendo carinho.

*Perspectiva de Bernardo*

Fiquei um tempo pensando em tudo. Em todos esses anos que passaram e tudo que nos levou até aqui. Eram tantas lembranças. Comecei do início, dos trabalhos na casa de Rodrigo, da minha primeira vez com Matheus… demorei um pouco ali e fui interrompido por Rodrigo.

Rodrigo: Você sabe que pode me falar qualquer coisa né?

Bernardo: Eu sei, eu só tenho medo de te magoar…

Rodrigo: Pode falar

Bernardo: Nós estamos tão bem…

Rodrigo: Mas poderíamos estar melhor.. é isso?

Bernardo: Eu acho que pode ser loucura..

Rodrigo: O que pode ser loucura?

Bernardo: O que eu quero… o que eu gostaria..

Rodrigo: Nós 3?

Bernardo: Como você sabe?

Rodrigo: Eu vi o jeito que olha pra ele.. sempre olhou..

Bernardo: Mas eu te amo…

Rodrigo: Eu te amo e você me ama, mas você ama ele também

Bernardo: Sim…

Rodrigo: E eu quero amar ele também.

Bernardo: Você quer?

Rodrigo: Sim! Quem liga? Vamos atrás da felicidade plena.

Bernardo: Não é que não sou feliz contigo…

Rodrigo: Eu sei que não é isso. Eu também quero, amor.

Eu sorri pra ele enquanto fazia carinho em sua orelha. Só podia ser loucura.. Como poderia dar certo nós 3 juntos? Rodrigo e eu… éramos conectados. Isso era tão bom. Eu estava com medo do que isso iria significar para nós dois, como Matheus entraria nessa equação e principalmente o que Matheus acharia disso.

Rodrigo: Vamos lá?

Bernardo: Lá onde?

Rodrigo: Completar nossos 2/3 !

Bernardo: Vamos!

O que será que vai acontecer?

Só no próximo (e último) capítulo de Desejos de Colégio!

Espero vocês comentando, votando, torcendo!

About gayson

Check Also

Confusões no Colegial – Capítulo 10 – Gripe

−Perfeitos. Simplesmente perfeitos (suspiros). Aqueles abdomens malhados, braços musculosos e os bumbunzinhos… (mordisca os lábios …

8 comments

  1. Carolhooooooooooooo, cara isso mesmo, o final os tres juntos boa parabens \o/ muito feliz

  2. Melhor história de todas, esperando pelo próximo capítulo. Será que vai ter um novo conto depois desse?

  3. Que legal gostei da historia dos 3 Rsrsrs ☺.

  4. ????gente que emoção adorei
    Coração a mill pro ultimo capitulo ???

  5. Mas já ? Começou um dia desses … Brinks kkkkk. Um ótimo trabalho, eu torço muito por eles, eu torço pelo o AMOR!

  6. Aaaaaiii que Maravilha
    Tudo que eu queria um trio de ouro amor e safadeza ❤❤❤

  7. ISSSOOOOOOOOOOO CARALHOOOOOOOOOOOOOOOOOO!

  8. Mano que venha logo esse ultimo capitulo. E sim, os tres seria uma forma perfeita de acabar juntos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *