Home / Contos / Desejos de Colégio – Capítulo 20 – De Volta a Realidade

Desejos de Colégio – Capítulo 20 – De Volta a Realidade

*Voltamos a narração do Bernardo e veremos o que aconteceu no aeroporto quando ele e Henrique saíram juntos do desembarque*

Para relembrar:

Descemos do avião e pegamos as malas da esteira. Seguimos pra fora da sala de desembarque e Henrique me dava beijinhos discretos na bochecha quando achava que ninguém estava olhando. Eu dava risada e carregava aquela mala gigante com muitas roupas que comprei. Quando estava rindo e puxando o cabelo de Henrique de brincadeira olhei pro lado e vi um rosto conhecido. Ele segurava uma rosa vermelha, mas largou-a no momento que nos viu. Eu fiquei em choque, parei e Henrique parou me olhando, perguntando o que aconteceu.”

Henrique: Que foi amor? -ele perguntou levando nossas malas

Bernardo: Eu acho que.. não.. acho que não. Não era nada..

Fomos para a minha casa e Henrique já começou a me pegar no colo e me beijar assim que fechamos a porta. Seu beijo era quente, sensual e ao mesmo tempo era fofo e querido. Não compreendia como tinha agarrado esse garoto pra mim e como ele quis me seguir até aqui.

Henrique: Perfeito ter te encontrado. Não tinha momento melhor. Quero mudar minha vida e tu chegou na hora certa já alterando ela pra melhor.

Parecia que ele lia meus pensamentos. Ele é perfeito demais! Só consegui sorrir de volta e mesmo assim ele ficava vermelho nas bochechas e quando sorria suas covinhas apareciam na bochecha.

Comecei a tirar sua camiseta e lamber seu corpo enquanto ele desabotoava minha bermuda. Estávamos ambos bronzeados do sol. Ele ficava muito sexy assim. Conseguia me imaginar passando a vida toda com esse homem. Transamos o resto do dia inteiro, em todas as posições possíveis. Henrique era perfeito em tudo que fazia. Nosso encaixe era o melhor que poderia ser.

DE VOLTA À REALIDADE

Algumas horas depois ele me lembrou que tinha aula no dia seguinte. Todo o peso do mês anterior voltou a cair na minha cabeça. Leandro… Matheus… Rodrigo… Peguei meu celular, o qual havia esquecido, e ouvi as mensagens que tinham.

Leandro me contou por mensagem de voz todo o ocorrido em sua casa. Fiquei apavorado e chateado por não estar ali para o meu amigo. Tentei ligar pra ele mas deu na caixa postal.

Saudação da caixa postal: Olá aqui é Leandro ( e João) se quiser falar com a gente deixa um recado que retornamos

“Hmm, ele parecia mesmo feliz” logo pensei.

Bernardo: Oi amigooooo, mil desculpas não ter te atendido. Nossa, eu não acredito que tudo isso aconteceu! Mas você parece feliz e é isso que importa. Também tenho muito que te contar então vê se me liga logo! Um beijo grande do seu amigo Ber.

Fui voltar para o quarto e então minha caixa de mensagens continuava vermelha. Tinha mais uma mensagem ali…

Henrique: amor, vou tomar um banho.. tudo bem?

Bernardo: claro, sinta-se em casa!

Henrique: vem me acompanhar logo!

Voltei a olhar pro celular e apertei em play na mensagem seguinte-

Mensagem na caixa postal: Hmm, oi Bernardo.. Olha, eu sei que muita coisa aconteceu nesse semestre e que tudo deve estar uma zona na sua cabeça… Mas se quiser podemos retomar de onde deixamos. Ou começar de novo. Ou sei lá, me liga pra gente conversar? Amanhã vamos nos ver e não sei como devo te tratar… não sei bem como ficaram as coisas e eu realmente queria te falar muita coisa… Me liga, ok? Ah, aqui é o Matheus.

Aquela voz me trouxe lembranças, muitas lembranças. Fui nos contatos sem pensar e liguei.

Matheus: Bernardo!

Bernardo: Oi Matheus…

Matheus: Estou feliz que me ligou, foi pela mensagem que deixei?

Bernardo: Foi sim.. Olha, eu queria que a gente começasse de novo, tudo bem? Vamos ser amigos, muita coisa mudou nas férias e eu não quero dar esperanças pra ninguém. Na real eu encontrei alguém e acredito que ele é a melhor pessoa pra mim.

Matheus: Nossa, isso é uma surpresa… Mas tudo bem, claro que podemos ser amigos

Bernardo: Fico feliz.

Matheus: Você vai ligar pro Rodrigo também??

Rodrigo.. Aquele nome ainda me dava alguns calafrios, mais que o de Matheus. Desligamos o telefone e fiquei com medo, não por sentir alguma coisa ainda por Rodrigo, mas por ter que enfrentar ele. Lembrava da primeira vez que fui na sua casa. Parecia anos atrás e eram só alguns meses… Disquei seu número e esperei ele atender…

-Alô?

Ouvi no telefone e meu coração parou. Não sabia exatamente o que dizer, deveria ter planejado antes.

Bernardo: Oi… hmm, liguei pra falar sobre tudo que aconteceu e sobre amanhã.. vamos nos ver né… Queria deixar agumas cois

– Oi Bernardo, aqui é o Guilherme. – respondeu a mesma voz que disse alô.

Bernardo: Guilherme? Eu queria falar com o Rodrigo.. Esse é o celular dele, não?

Guilherme: Sim.. Ele está no banho

Rodrigo estava com Guilherme? Era isso? Não sei se me incomodava ou me dava alívio.

Guilherme: Que que você quer? Posso deixar recado pra ele.

Bernardo: Eu só queria resolver algumas coisas que deixei para trás…

Guilherme: Quer magoar mais ele? Quer fazer ele cair de cara no chão de novo? Olha Bernardo o Rodrigo gosta muito de ti ainda então eu acho melhor tomar vergonha na cara e vir falar com ele cara a cara. Eu vou sair daqui agora e então você resolve o que fazer. Mas resolve mesmo, não fica de lenga lenga porquê ninguém aguenta mais isso.

E desligou na minha cara.

Que garoto mal educado. Mas no fundo eu sabia que ele tinha razão, se eu fosse resolver alguma coisa com Rodrigo teria que ser cara a cara.

O BANHO

Tirei a roupa e entrei no banho com Henrique. O corpo dele toda vez me impressionava. Como ele era bem definido, como ele era lindo. Seu sorriso ao me ver e as covinhas que se formavam junto dele eram meu paraíso pessoal.

Henrique: Que bom que veio, deixa eu te ensaboar meu lindão..

Ele me cuidava muito bem. Tudo que eu sempre pedi para um namorado.

Henrique: Ei, vamos na imobiliária amanhã de tarde? Preciso achar um apartamento para alugar, não posso ficar aqui pra sempre né? haha E você pode se mudar comigo se preferir… Te quero junto a mim.. Além disso comecei a ver as datas de transferência da faculdade, é logo mês que vem.

Bernardo: Você quer mesmo ficar aqui né?

Henrique: Corrigindo.. quero ficar contigo!

Eu estava me apaixonando por esse garoto, sem dúvidas…

NAQUELA NOITE

Depois de jantarmos tive uma conversa bem séria com Henrique. Falei que para irmos pra frente eu deveria resolver as coisas com Rodrigo. Ele aceitou e me apoiou, disse que estaria ali para mim. Fomos juntos até a casa de Rodrigo e ele ficou esperando na esquina sentado em um banco enquanto eu apertava a campainha.

Rodrigo logo atendeu o interfone falando “quem é?” respondi que era eu e ele ficou em silêncio por uns 5 segundos antes de apertar o botão para eu entrar.

Cheguei na sala, lembranças de tudo que passamos naquela casa passavam pela minha mente.

– Oi… – ele disse, parecia um pouco brabo – como foram as férias?

-Foram boas.. e as suas? -perguntei, lembrando de Guilherme…

-Foram também. Olha, eu tenho muita coisa pra te falar Ber… -ele começou

Logo interrompi ele. Precisava falar tudo que eu tinha antes que ele falasse algo que eu não pudesse escapar. Falei tudo que eu tinha para falar. Da minha paixão por ele desde o início, falei da minha primeira vez com Matheus e como no início eu achei que fosse ele e como eu não parei por lembrar dele beijando uma menina. Falei de como estar com Matheus me fazia esquecer um pouco dele e como estar com ele era complicado pra mim. Contei que meu coração estava dividido um pouco antes das férias e falei o que senti quando descobri que eles estiveram juntos sem mim.

Rodrigo me explicou o que aconteceu com Matheus e ele. Foi bem direto sobre, não contou detalhes mas não pareceu esconder algo. Ele parecia diferente. Ele parecia mais decidido sobre as coisas. “Será que isso era influência do Guilherme?” eu pensava. Logo quando ele veio a minha mente Rodrigo falou dele. Falou que passaram quase as férias todas saindo e conversando. Que eles não estavam juntos mas que os ensinamentos de Guilherme o faziam refletir sobre sua própria vida.

-Ele tem muitas aventuras sexuais, o Guilherme, mas você não imagina o tamanho de amadurecimento que ele teve em todas elas… – ele me contava

Foi então que comecei a falar das férias, falei que no início eu não queria saber de nada. Queria usar aquele tempo para colocar a cabeça no lugar. Então falei de Henrique. Contei em poucos detalhes mas com bastante ênfase que eu estava com ele que isso era algo que eu tinha certeza.

Rodrigo ficou com uma expressão que eu nunca tinha visto e não sabia o que ela significava. Ficamos em silêncio alguns minutos.

– Eu só quero que seja feliz Bernardo. Eu gostaria que fosse comigo, mas, se você achou alguém que você gosta e que te faz bem não sou eu que vou te impedir.

– Eu fico feliz por isso e também desejo que seja feliz. Gostaria que tentássemos ser ami..

-Acho pouco provável.

Decidi não falar mais nada. Fui para a porta e olhei para trás. Não sabia o que pensar, nem como melhorar a situação.

-Seja feliz, Rodrigo. -falei e saí

Henrique estava me esperando perto da grade já, com uma cara preocupada, já cheguei abraçando ele e falando que está tudo bem.

NO OUTRO DIA

Acordei com despertador do Henrique tocando as 6h da manhã, ele tinha um sono muito pesado que não acordou com o escândalo que eu fiz pra desligar o alarme. Minha aula era só as 7:30 então decidi que eu tinha tempo para aprontar.

Henrique estava deitado sem camisa e de barriga pra cima com uma cueca samba canção com aqueles buraquinhos. Subi nele e comecei a beijar seu pescoço, seu peito, sua barriga e nada dele acordar. Mas o seu pau já estava acordado. Tirei pra fora da cueca pelo buraco e comecei a chupar aquela cabeça rosadinha.

Ele era muito gostoso. Gemia meio dormindo meio acordando. Comecei a enfiar o pau dele todo na minha boca e então ele acordou, coçando os olhos e falando “hmmm, que gostoso, melhor maneira de acordar” e colocou a mão na minha cabeça empurrando ela até eu engasgar um pouco.

Logo acordou de vez e me pegou de jeito. Sentou na cama e me colocou deitado de bunda pra cima no seu colo.

-Você foi um menino abusadinho hoje, sabia? -ele disse com voz de safado

-Eu fui é? Vou ser castigado? -respondi olhando pra ele com cara de inocente

Henrique começou a bater na minha bunda e deixar ela vermelha. Aquilo me dava muito tesão.

-Agora fica de 4 fica.

Ele era muito habilidoso. Passava a língua no meu cu e chupava meu pau comigo gemendo. Logo ele pegou uma camisinha e colocou no seu pau, enquanto lubrificava meu cu com o gel. Henrique começou a enfiar o pau aos poucos na minha bunda me fazendo gemer de prazer.

Comecei a empurrar meu corpo em direção ao pau dele, querendo mais. Seu pau encaixava direitinho e me fazia revirar os olhos de prazer.

O despertador começou a tocar novamente avisando que já eram 7h. Levantei e puxei ele pro banheiro e entramos no box.

-Me come de pé aqui, gostoso -falei, já me ensaboando

-Melhor maneira de acordar de todas. Quero todo dia -falando isso ele meteu todo o pau no meu cuzinho.

Gemi de prazer enquanto ele bombava o pau dentro de mim, beijando minha nuca e batendo pra mim. Ele gozou, gemendo muito no meu ouvido e isso me fez gozar também. Nos beijamos muito enquanto ele me dava banho e eu dava banho nele. Era muito carinho e sensualidade junto, eu estava muito feliz.

Me sequei e comecei a me vestir e dei uma cópia das chaves pra ele. “Vou pro colégio, acho que saio 12h, vamos almoçar juntos?” falei indo pra porta.

– Claro meu lindo, me liga e combinamos.. vou sair e tentar achar imobiliárias pra achar um ap.. vai que seus pais voltem logo né?

Dei risada e saí atirando um beijo pra ele.

No caminho para o colégio fiquei com medo de encarar Rodrigo. Não sabia que o problema não seria ele.

COLÉGIO

Chegando no corredor das salas todos estavam com bastante frio. Só eu que estava bronzeado por ter ido pra praia e pra um lugar mais quente… Chegando perto da minha sala vi Guilherme no corredor. Ele logo me olhou fuzilando quase. Fiquei tenso e logo entrei na sala. Matheus veio logo me cumprimentar com um abraço e senti que realmente poderíamos ser amigos.

– Você está bronzeado! A praia te fez bem! – ele disse sorrindo

Matheus sempre foi muito educado. Rodrigo estava sentado em seu lugar de sempre olhando para os cadernos. Seria um semestre longo.

ESPELHO

A professora de filosofia tinha ganhado uma bolsa de estudos para o exterior e então entrou um professor novo. Ele era bem novo e bem bonito. Seu nome era Gabriel. Ele tinha um método de ensino divertido pois veio diretamente das aulas de cursinho que são bem menos chatas. Logo a turma se animou e ele começou a fazer atividades dinâmicas e tudo.

Uma das atividades era “o espelho” e a gente tinha que imitar tudo que a pessoa da nossa frente fazia. Ele ia trocando os pares e fui parar logo com Rodrigo na terceira rodada. Ficamos frente à frente e ele não me olhava nos olhos. Comecei a fazer movimentos bobos e ele imitava com a mínima vontade. O professor Gabriel gritou “trooooooca” que fazia com que fosse a vez de Rodrigo fazer os sinais e eu imitar.

Ele começou a fazer movimentos aleatórios e muito rápidos, estava difícil de imitar, mas logo entendi que eram sinais de luta. Parecia que ele estava expressando a raiva dele. Fiquei chateado.

– Você quer me bater Rodrigo?

Ele ficou em choque. Olhou direto nos meus olhos e disse “nunca” e voltou a sentar.

O professor veio até nós e falou:

-Não gostaram da brincadeira meninos?

– Eu cansei. -falou Rodrigo.

Bateu o sinal pro final da aula, guardei as coisas e liguei pro Henrique. Ele já tava vendo apartamentos no centro então falei que encontrava ele lá.

3 SEMANA DEPOIS

Henrique já tinha se mudado. O apartamento dele era ótimo e bem perto de um ponto de ônibus que parava na frente do meu colégio. Pertinho da Faculdade também que ele tinha se inscrito e tudo estava se encaixando. Cada vez estávamos mais apaixonados. Nosso sexo estava perfeito.

No colégio tudo mudou. Matheus começou a andar com meu grupo de amigas. Ficamos muito próximos. Ele trocava mensagens com João e me apresentou ele via skype. Apresentei Henrique e Matheus e eles também se deram muito bem. Os 6 muchachos também se separaram. Rodrigo não falava com quase ninguém da turma e ficou bem amigo do Guilherme e da turma dele. O resto dos Muchachos fizeram um grupo só deles e realmente não tinha mais nenhum gay ali.

Leandro me mandava fotos e mensagens direto. Estava feliz no colégio novo e na cidade nova. Eu estava com bastante saudades dele mas me prometeu vir nas férias.

A coisa mais chocante que aconteceu, no entanto, foi que o professor Fábio demitido. Isso mesmo. Pelos boatos parece que ele tentou abusar de uma aluna. Sabia muito bem que deveria ser de um aluno né, pois é o que ele gosta. Lembrei de Guilherme e daquela vez que apanhei os dois juntos, mas não deveria ser ele. Lembrei do dia que transamos eu ele e Leandro mas não poderia ser Leandro também… Mas houve queixa na polícia e um monte de interrogatórios com as garotas do colégio. Logo pensei “estão interrogando o sexo errado” mas não falei nada. Como não tinham provas nem nada, ele não foi preso, mas ficou bem chato pro colégio e saiu no jornal também. Logo ele se mudou para o exterior com a namorada dele que mal sabia das coisas.

Fora esse escândalo do professor as coisas iam bem. Realmente bem. O vestibular seriado se aproximava cada vez mais e eu estudava. Estava tendo uma vida praticamente de casado com Henrique e tudo estava perfeito. Ele estava começando o curso de Psicologia na faculdade perto do ap que estávamos morando juntos. Cada vez que o tempo passava eu pensava no que eu queria fazer. Minhas vontades ficavam perto dos cursos de Comunicação Social.

2 ANOS DEPOIS – PASSAGEM DE TEMPO LONGA

Eu estava sentado no colo dele, dava claramente pra ver que ele estava duro e que eu estava também. Minhas mãos seguravam seus braços fortes, estávamos sentados no chão. Nos beijávamos e eu olhava pra ele, seu rosto lindo. O sol batia em seu rosto corado, iluminando nós dois no chão.

Ele me olhava, nos olhos. Então ele tirava seu casaco e me fez deitar nele, subindo em mim, fazendo minhas pernas ficarem apoiadas nos lados do seu corpo.

-Eu te quero Bernardo – Rodrigo dizia me olhando – Eu te quero mesmo…

Então ele subia a minha camiseta com as mãos e beijava meu corpo. Suas mãos deslizavam até minha barriga, até os lados do meu corpo.

*

Oba gente! Quem tá ansioso para a passagem de 2 anos?

Berdrigo de volta…? E o Henrique? Que que aconteceu com Matheus, Leandro e Guilherme?

Tudo isso no capítulo 21 e reta final pra história acabar.

Obrigado pra quem tá lendo ainda e acompanhando e principalmente quem comenta! Isso só me dá mais vontade de continuar a escrever. AH!

About gayson

Check Also

Confusões no Colegial – Capítulo 10 – Gripe

−Perfeitos. Simplesmente perfeitos (suspiros). Aqueles abdomens malhados, braços musculosos e os bumbunzinhos… (mordisca os lábios …

11 comments

  1. Nossa a cada capítulo, fico mas curioso com vontade de mas é mas….

  2. Não entendi ?? Henrique anciãos pro proximo capítulo

  3. Maanooo como assim…. e o Leandro?? Eu tava torcendo para o Matheus mas… blza. Pensei que o rodrigo ia ficar com guilherme.

  4. EU ESTOU NERVOSAAAAAAAAA! 2 ANOS? SENHOR!

  5. Eu já estava puta,puta mesmo pq achei que ele não ficaria com RODRIGO.. Mas fim estou feliz em saber que ele estão junto rsr amo esse casal.

  6. GENTE DO CEU TO EM CHOQUE COMO ASSIM

  7. Curtindo bastante este conto. Ansioso para os próximo a capítulos.

  8. Estou sem entender nada, aguardar o próximo capítulo

  9. Muito bom! Acompanhando ansioso pelo próximo!

  10. Meu Deus oq foi esse final socorro dois anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *