Home / Contos / Confusões no Colegial – Capítulo 8 – Rock in Roll(o)

Confusões no Colegial – Capítulo 8 – Rock in Roll(o)

Da esquina já se ouvia uma das bandas fazendo o cover de NX0, “Razões e emoções[i]”. A música preenchia a noite e a avenida famosa pelos encontros de diversas tribos estava bastante movimentada. Derick, Lizi e Tatiane aproximavam-se do pub muito ansiosos, já que este era o primeiro evento do tipo que participariam.

“Underground”. O letreiro brilhoso indicava que estavam no local correto. Eles entraram e se impressionaram com o ambiente descolado. Em uma área, mesas de sinuca, pôquer e um jukebox com luzinhas bastante convidativas. Mesas estavam espalhadas e grupinhos conversavam curtindo o som. Lá na frente, no pequeno palco com pôsteres de diversas bandas de rock, rapazes mostravam o que de melhor sabiam fazer com suas guitarras, baixo, bateria e vocal.

Estava mal iluminado e o breu era cortado por luzes led roxo e vermelho que dançavam junto ao som alto das guitarras. Lizi não conseguia se segurar, amava NX0 e logo começou a dançar feito uma alucinada enquanto seguia os amigos em busca de uma mesa, mas todas estavam ocupadas. Caminharam um pouco mais, as pessoas se esbarravam e era tudo muito excitante, então resolveram ficar em alguns pufes próximos ao palco.

A banda cover começou a tocar uma nova música, “Cedo ou tarde[ii]”. Algumas meninas sentadas em uma mesa próxima acompanhavam o refrão, Derick olhou para Lizi e a garota estava com os olhos lacrimejando.

– Você está bem? – cochichou ao ouvido dela.

– Eu adoro esta música – respondeu emocionada.

– Fiquem aqui, vou buscar alguma coisa para bebermos – Derick deixou as amigas e seguiu rumo ao bar, próximo a entrada do local. Comprou algumas latinhas de refrigerante e pacotes de Doritos.

Quando retornava a beirando uma parede, sentiu um encontrão pelas costas. Alguém o encoxou, segurando-o pela cintura. O rapaz o apertava contra o corpo e Derick sentiu sua virilha roçando-se contra as costas, não soube como reagir. As mãos estavam ocupadas e pelo visto ele era bastante forte, foi então que a voz máscula falou bem próxima à sua orelha, roçando o queixo à curva do pescoço:

– Quero falar com você. Lá fora – pelo cheiro, percebeu que ele estava alcoolizado. Era Lucas, que o largou e sumiu na escuridão.

Derick olhou ao redor para certificar-se de que ninguém havia visto. O jogo de luzes embaralhava a visão, então, certamente ninguém conseguiria saber de quem se tratava. Ele seguiu para o pufe onde as amigas aguardavam acompanhadas por mais alguns jovens, colegas do facebook.

– Meninas, vocês se importam se eu sair rapidinho para fazer uma ligação? – Derick falou um tanto nervoso. Ele queria ir lá fora, mas não sabia o que aconteceria.

– Relaxa. E não demora, a banda do Kaio já está montando os instrumentos – Lizi responde e em seguida volta a conversar com os amigos, Tatiane também parecia enturmada.

* * *

Derick saiu do pub, aguardou um pouco na calçada e então ouviu o som de buzina vindo de um carro prata. Lá dentro, Lucas o aguardava sentado no banco do motorista, porta aberta e com as pernas para fora exibindo o tênis branco.

– O que você quer Lucas? – Se aproximou ficando frente ao rapaz.

– Relaxa. Só quero conversar. Dá a volta ai e senta no outro banco – Ele estica-se dentro do carro e abre a porta do passageiro. Derick entra e a fecha observando Lucas fazer o mesmo, e ali, com as luzes apagadas, observam o movimento da avenida.

– Não posso demorar, as gurias estão me esperando e a banda do Kaio já está quase começando a tocar – Derick tenta disfarçar o nervosismo.

– Relaxa. Eu só queria saber como você está? Tipo, aconteceu tanta coisa – Lucas se ajeita no banco, virando-se para Derick.

– Quer saber a real? Achei uma sacanagem tudo o que houve com a Tatiane – Derick fala ríspido – E tem a sua namorada que sempre passa por nós fazendo cara feia – completa.

Minha namorada? Quem? A Caroline? – Ele abre um sorriso cínico – Relaxa, terminei com ela.

– É, estou sabendo. Ou melhor, todos já estão sabendo – Pelo vidro frontal do carro, Derick observa a entrada do pub.

– Posso fazer uma pergunta? – Lucas fala enquanto recosta-se no banco e estica os braços para trás, volteando o encosto.

– Acho melhor não – Derick responde, imaginando mil e uma coisas sobre o que poderia ser – Estou ouvindo o barulho da guitarra, os meninos já vão começar. É melhor irmos agora. – Ele tenta abrir a porta, mas Lucas ergue-se e o puxa pelo braço.

– Calma. Não vou te atacar – Ele fala com tom sacana.

– Certo Lucas. Fala logo e depois vamos – Derick estava tremendo, Lucas bêbado.

– Você… (ele faz uma pequena pausa) quer me beijar de novo? – Pergunta enquanto umedece os lábios.

Derick fica atônito. Não pensara que o garoto teria coragem de voltar a falar sobre aquilo. Sua boca estava seca, o nervosismo o fazia lembrar-se de toda confusão.

– Não Lucas, melhor não. Alguém pode ver e nos meteremos em confusão – Derick abre a porta e sai apressado em direção ao pub, entra olhando para trás conferindo se o rapaz o seguia, chega até as amigas e finge que nada aconteceu.

* * *

O barulho das guitarras sendo afinadas contrasta com várias conversar e risadas. Algumas luzes foram acesas, porém, ainda assim o ambiente permanecia escuro.

– Nossa, você demorou – Lizi entrega uma das latas de refrigerante para o garoto – Deixa eu te apresentar meus amigos do grupo – ela referia-se a um grupo no facebook sobre felinos, do qual era participante.

– E a Tati? – Derick pergunta notando a ausência da colega.

– Ela foi ao banheiro. Está estressada hoje – Lizi despede-se dos colegas e continua – deve ser a TPM.

Enquanto ouve a amiga, Derick observa atentamente ao redor para ver se Lucas está por ali. Ninguém sabe o que um cara bêbado é capaz de fazer. Lizi continua – Acho que sei por que está assim – Derick vira-se surpreso. Será que Lizi tinha visto Lucas o encoxar? Será que alguém tinha comentado algo sobre eles dois no carro?

– Não é o que você está pensando – responde nervoso.

A garota fica confusa.

– Como assim, ela já te contou? – Tenta entender do que o rapaz estava falando.

Derick percebe que mais uma vez seu nervosismo o fizera se equivocar.

– Do que estamos falando? – Abre um sorriso de desentendido.

– Da Tatiane oras. Do que você achou que era? – Lizi completa.

Ops. Foi mal. Eu me perdi no assunto – tenta voltar à conversa anterior – Acho que é o som alto – completa. (Detalhe: o som estava ambiente. A banda do Kaio apenas afinava os instrumentos).

– Promete guardar segredo? – Lizi continua o assunto – Porque se descobre que falávamos das coisas dela, já viu – levanta o dedo mindinho como sinal de um pacto entre os dois.

– Prometo – Derick enlaça seu dedo ao da colega e ela prossegue:

– Acho que está assim por causa do Kaio – revela.

– Como assim por causa do Kaio? – O assunto rouba-lhe a atenção. Chegou a esquecer-se de Lucas e seus assédios por alguns instantes.

– Lembra de quando falávamos sobre o quase primeiro beijo dela? – O rapaz acena que sim com a cabeça e manda a pergunta que não quer calar:

– Caraca, era o Kaio o garoto com cáries? – Ele estava surpreso e o assunto ficava cada vez mais interessante.

– Não. Não. Pelo contrário, ele somente assistiu a cena – Lizi esclarece – Por isso ficou mais nervosa, porque Kaio é o cara pelo qual era apaixonada, e pelo visto ainda é. Mas Derick, por favor, nunca toque nesse assunto. É segredo de Estado.

CHO. CA. DA. Que novela era essa gente? Primeiro: Lucas o namorado da garota popular o beijou a força e agora estava querendo ficar novamente. Segundo: Kaio parece estar a fim, pois sempre o flagra desviando o olhar (detalhe: Derick não quer assumir, mas está meio que apaixonado pelo playboy) e agora mais essa, parece que a paixão secreta da melhor amiga, é a mesma paixonite do garoto e para complicar ainda mais, Kaio já tem namorada. Deu pra entender? (~lê: narradora tonta)

Enquanto está pensativo Tatiane senta-se ao lado.

– Tudo bem? – ela questiona, observando o garoto pálido.

− Ótimo – ele sorri sem graça, repassando mentalmente aquilo que Lizi acabara de lhe contar – e você?

– Só um pouquinho desanimada. Vamos embora? – Tati chama os amigos.

– A não, acabamos de chegar Tati, vamos esperar pelo menos a banda do Kaio tocar – Lizi não quer sair agora.

Uma sinfonia melódica soa no palco, as luzes ficam baixas e Kaio começa a cantar “Lonely Day[iii]” do Sistem of a down.

Como ele está bonito – Derick admira o rapaz – As luzes faziam um contraste, dando um charme a mais ao garoto que tocava, cantava e balançava os cabelos loiros deixando as espectadoras encantadas. Já os rapazes se empolgavam com o dedilhado da guitarra. Kaio era talentoso.

A visão encantadora no palco fez com que Derick pensasse bastante, procurando uma saída para sua confusão sentimental. Ouvia a música e lembrava-se do primeiro encontro, no primeiro dia de aula quando eles cruzaram olhares no corredor a caminho da sala dos professores, lembrou-se também do dia em que Kaio tentou enturmar-se e foi rispidamente afastado por Tatiane.

E quanto a Tatiane? Ela era uma verdadeira amiga. Derick lembrava-se do que a garota fizera assumindo a culpa pela confusão com Lucas, preservando assim o seu segredo. Então esta era uma questão de honra, não se apaixonar, não pelo cara que ela gostava.

– Essa próxima música vai para uma pessoa especial – Kaio olha em direção à mesa onde a namorada sentava-se com as amigas. A batida pop rock era animada, e a voz suave dava um charme especial a canção. Ele cantou toda a primeira estrofe olhando para Crícia, mas quando chegou à segunda parte, olhou diretamente para o pufe onde o trio estava:

“…Depois que nos encontramos, eu esqueço todo tempo, que fiquei sem te ver… Fora tanto que eu me perco, fora tudo que eu mais penso, eu só penso em você, só penso em você.”[iv]

Aquilo não estava acontecendo – Derick pensou encarando o palco – Será que Kaio estava cantando aquela música para ele? Será que era apenas impressão de uma mente apaixonada? Mas, se não fosse para ele, porque diabos não tirava os olhos de sua direção?

A banda prosseguia:

“Eu só penso em você… Só penso em você… Só penso em você…”

Todos no pub cantavam o refrão e o coração de Derick faltava sair pela boca. Após a canção da Kid Abelha, eles tocaram mais alguns rocks pesados e terminaram a apresentação. Derick chamou as meninas para irem embora, estava ficando tarde e teriam aulas na manhã seguinte. A caminho da saída, Derick ouve Kaio o chamando pelas costas – Oh-My-God – Pensou.

Derick – Kaio hesita por um instante – eu queria falar com você.

O rapaz não sabia como reagir. Lizi estava agarrada ao seu braço e Tatiane já havia saído.

– Amanhã Kaio, estamos com pressa – Ele diz gaguejando e sai rápido puxando Lizi, como se fugindo da polícia.

Acompanhou as garotas até o ponto de táxi. Depois que partiram, resolveu dar uma volta para espairecer sobre tudo o que estava acontecendo em seu coração. Foi então que percebeu o carro de Lucas estacionado abaixo de uma árvore.

A buzina soou. Derick pensou um pouco, mas precisava tirar Kaio da cabeça. Então caminhou até o veículo, fechou a porta, aceitou um copo de Uísque e resolveu entrar de cabeça.

_____________________________

[i] [Música] “Razões e Emoções”: Um single da banda brasileira NX Zero presente em seu segundo álbum: NX Zero (2007). Foi escrita por Di Ferrero e Gee Rocha (vocal e guitarrista, respectivamente). Gravadora: Arsenal. Gênero: Hardcore melódico.

[ii] [Música] “Cedo ou Tarde”: Um single da banda brasileira NX Zero presente em seu terceiro álbum: Agora (2008). A canção foi composta por Leandro Rocha e Di Ferrero. Gravadora: Universal Music. Gênero: Rock/Balada.

[iii] [Música] “Lonely Day”: Uma canção da banda americana System of a Down lançada em 2006 no álbum Hypnotize. Composição: Daron Malakian. Gravadora: American/Columbia. Gênero: Rock alternativo, rock progressivo, hard rock.

[iv] [Música] “Eu só penso em você”: Uma canção presente no álbum AutoLove (1998) da banda brasileira Kid Abelha. Gravadora: Warner Music Brasil. Composição: George Israel, Paula Toller. Gênero: Pop.

 

About gayson

Check Also

Confusões no Colegial – Capítulo 10 – Gripe

−Perfeitos. Simplesmente perfeitos (suspiros). Aqueles abdomens malhados, braços musculosos e os bumbunzinhos… (mordisca os lábios …

2 comments

  1. Gostaria de ler desde o inicio mais nao tou conseguindo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *