Home / Contos / Confusões no Colegial – Capítulo 10 – Gripe

Confusões no Colegial – Capítulo 10 – Gripe

−Perfeitos. Simplesmente perfeitos (suspiros). Aqueles abdomens malhados, braços musculosos e os bumbunzinhos… (mordisca os lábios e então continua)… de parar o salão de beleza.

– Concordo to. tal. men. te. Olha aquele ali (aponta com o dedo) Um deus grego…

– Grego nada – Tatiane corrige a frase – aquele é paulistano, “Ô” paulistano.

– Que seja, não deixa de ser um deus – Lizi completa o diálogo.

Á sombra das árvores, as duas colegas admiravam o treino do time de futebol, ou melhor, admiravam os jogadores divididos em dois grupos: os com e os sem camiseta, para loucura das colegiais.

– Vamos panteras, vamos – o treinador grita – Vocês são melhores que isso – Ele corre e assopra um apito azul pelo campo, acompanhando os garotos, que suados, se esforçam para fazer um gol.

A bola está a rolar, todo o time se movimenta buscando a melhor chance. Alguém chuta para Kaio (time dos com camiseta), ele corre fazendo alguns dribles, e com toda velocidade vem em direção de Lucas (time dos sem camiseta) dando-lhe um esbarrão proposital, quase o derrubando.

– Que putaria é essa? – Lucas revida o esbarrão.

– Eu é que pergunto – Kaio o empurra.

– Qual é vacilão? Está tirando onda? – Lucas provoca.

Uma discussão começa e o time interrompe o jogo por causa da confusão.

– Olha lá Lizi, está rolando alguma coisa – Tatiane observa o movimento.

– São o Kaio e o Lucas – Lizi tentando enxergar melhor – O que será que houve?

– Testosterona. Excesso dela – A amiga faz piada e seguem para mais perto, tentando assistir o bate-boca.

– Você vai ver quem é o vacilão quando eu der uns murros nessa sua cara. – Kaio se prepara para iniciar uma briga, porém o treinador interrompe o rebu.

– Já basta – empurra os dois, um pra cada lado – Porque desta palhaçada? – grita com ambos que mesmo afastados permanecem se encarando – Não aguentam um esbarrão? Então procurem um clube de mulherzinhas, porque futebol é pra macho, e macho não fica de frescagem – Kaio e Lucas continuam se encarando, algo rolava.

Ninguém entendeu a razão da confusão. Passou despercebido, poderia ser apenas uma briga boba por causa da tensão do treino, que logo foi suspenso. Era o fim das aulas daquela sexta-feira.

Tatiane e Lizi deixaram o local subindo em direção aos armários no prédio. No caminho foram discutindo sobre a ausência do colega.

– Você conseguiu falar com o Derick? Por que ele faltou esses dois dias? – Lizi perguntou.

– Parece que está gripado e só volta semana que vem – Tatiane responde enquanto abre o Whatsapp revelando a conversa que tiveram na tarde anterior (quinta-feira). Derick em momento algum mencionou a noite com Lucas, ninguém sabia que ele tinha perdido a virgindade após o encontro no pub.

Tatiane tranca o armário e segue para o banheiro que ficava próximo dali. Lizi permanece organizando algumas coisas, seu armário parecia uma selva, literalmente. Roupas sujas misturavam-se a livros, trabalhos antigos manchados por uma barra de chocolates derretida, restos de salgadinho e CDs que pegara emprestado e precisava devolver. Um chiqueiro.

Lizi – A garota estava envolvida em sua faxina “discreta”, quando Kaio a surpreendeu pelas costas.

– Ai garoto – Ela vira-se de supetão batendo a porta do armário. Não queria que ele visse sua bagunça particular.

– Você tem visto o Derick? – o rapaz pergunta enquanto ajeita a mochila nas costas. O cabelo estava molhado, provavelmente acabara de sair de um banho.

– Está com influenza – Lizi responde sorridente, ainda escorada na porta do armário.

Influenza? É alguma coisa séria? – Kaio fica intrigado.

– É gripe seu bobo – Ela explica observando a expressão confusa do rapaz.

– A tá – Kaio coça a cabeça – mas será que ele vai demorar a voltar?

– Acho que não. – Lizi faz uma pausa observando Caroline, Crícia e Beth surgirem no fim do corredor em direção aos armários – A Tatiane conversou com ele pelo Whatsapp, disse que está de volta na segunda-feira – completa.

– Legal – Kaio para por um instante – Você tem o número dele? – questiona.

Ela tira o celular do bolso e procura o número, enquanto isso Crícia chega por trás agarrando o namorado pela cintura. Trazia uma sacola na mão.

– Anota ai, 5578-66** – Lizi passa o número e Kaio digita em seu celular. Nesse momento Tatiane sai do banheiro e dá de cara com o casal conversando com Lizi, e do outro lado, Caroline acompanhada por Beth no bebedouro.

– Oi – Kaio cumprimenta a garota com um sorriso.

Oi – sem muitas palavras, Tatiane responde ao cumprimento.

– Bom, acho que vou indo nessa – Lizi despede-se atendendo a um sinal da amiga.

– Valeu – Kaio agradece e observa as meninas saindo pelo corredor.

Antes que façam a curva mais a frente, Crícia repara que a garota deixara cair algo de dentro do armário, então grita:

– Lizi – Ela vira-se e ao ver do que se tratava volta correndo. Ali no chão, um pacotinho de absorvente ficara amostra.

A garota vermelhinha abaixa-se, pega o objeto, coloca no armário e tranca a porta.

– Obrigada – Agradece corada.

– Por nada – Crícia responde balançando a cabeça com um sorriso.

Ela retorna com passinhos apressados ao fim do corredor, onde Tatiane esperava sorrindo. Crícia abraça o namorado com mais força observando os números na tela do celular.

– De quem é esse telefone amor? – questiona curiosa.

– Do Derick – ele responde guardando o aparelho. Então se vira para ela e percebe a sacola – E você, o que está escondendo ai? – tenta ver.

– Nada importante – Crícia afasta a sacola de supetão – apenas coisas de meninas – completa para não deixá-lo curioso.

– Coisas de meninas? Sei. – Fazendo um biquinho ele a escora no armário, aproxima-se para um beijo e de surpresa puxa a sacola.

EI – Ela grita com o coração disparado.

– Vem pegar, vem – Ele brinca chacoalhando a sacola no ar.

– Não Kaio. Devolve – Crícia fala séria.

Ao ver a situação, Caroline aproxima-se pelas costas e puxa a sacola num movimento certeiro – Me dá isso aqui – diz brava ao tomar posse do objeto.

Ei. Relaxa ai meninas, que “brabeza” – Kaio brinca, reparando que na sacola escondiam algo que não queriam que ele visse.

– Não estamos bravas amor – Crícia tenta disfarçar dando-lhe um abraço seguido de um beijo de despedida. Eles não se encontrariam durante todo o fim de semana e precisavam aproveitar o último momento juntos. Caroline e Beth utilizaram da distração para guardarem a sacola no armário.

Droga – Caroline reclamou quando Kaio fez a curva no corredor – Você quase botou tudo a perder – resmungou olhando para a parceira.

– Foi mal, eu não sabia que ele viria com brincadeiras – Crícia desculpou-se da melhor forma que pôde e juntamente com Beth aproximaram-se do armário entreaberto para observar os objetos que haviam escondido na sacola.

– Vai ser o assunto do ano – Caroline sorri imaginando a cena.

– Ainda acho que deveríamos esquecer isso, já se passaram tantos dias – Crícia tenta fazer a garota voltar atrás, mas ela mostra-se irredutível.

– Esquecer? De forma alguma – Caroline resmunga – Já conversei com uns carinhas e está tudo combinado. Aquela vadiazinha não perde por esperar – com um sorriso malévolo tranca o armário e em companhia das garotas segue rumo à saída da escola. Seja lá o que estivessem tramando, aconteceria após o fim de semana.

* * *

– “Diz para mim, o que você quer?” – Derick olha para o rosto de Lucas e sente suas mãos apertando-lhe a cintura. Ele fecha os olhos e aproxima-se roçando o nariz ao nariz dele. – “Diz para mim, o que você quer?” – Com voz sedutora, o garoto repete a pergunta e Derick observa os lábios desejáveis movimentando-se lentamente ao pronunciar cada palavra. Eles se encaram olho no olho, Derick pisca e ao abrir as pálpebras percebe algo diferente: “desde quando os olhos de Lucas são azuis?”

Ele se afasta e repara surpreso que o garoto a sua frente já não é Lucas e sim Kaio, então não resiste tê-lo com as mãos envoltas à sua cintura e parte para um beijo – “Kaio… Eu quero você”, suspira.

Risadas baixinhas, cochichos maldosos. Derick abre os olhos, está sentado na mesa dos professores. O que acabara de falar foi ouvido por toda a sala. Tatiane surpresa, Crícia furiosa. De repente todos se levantam e apontando o dedo para o garoto, caem na gargalhada, zombando. Ele coloca as mãos nos ouvidos, não quer ouvir aquilo, quer sair dali, precisa sair dali…

Ahh – Com um susto Derick acorda no quarto escuro. Foi um pesadelo. Um dos vários que tivera desde o dia que transou com Lucas. Por um lado nervosismo de não saber como reagir na escola – E se a história vazasse? E se alguém tivesse visto? – Eram perguntas que atordoavam sua mente. Por outro, a febre que não colaborava.

Derick permaneceu deitado. Seu corpo estava desconfortável pela doença e também sentia algum ardor em outras “partes”. Lembrança de sua primeira relação sexual.

Um sinal sonoro soou alertando que alguém acabara de deixar uma mensagem no Whatsapp. Ele liga o aparelho celular e a luminosidade incomoda os olhos. Era Lizi.

Msg Lizi: Oi. Você está melhor?

Msg Derick: Com o cérebro saindo pelo nariz – ele faz graça.

Msg Lizi: Desculpe não ter enviado mensagem antes, Estava sem créditos.

Msg Derick: Relaxa, dormi quase o tempo todo.

Msg Lizi: E então, demorou a chegar em casa?

Msg Derick: Não. Por quê?

Msg Lizi: Só pra saber mesmo. Nós vamos voltar lá né? No Underground.

Msg Derick: Não sei, talvez.

Derick usava meias palavras. Não queria continuar falando sobre aquela noite. Falar em pub o fazia lembrar-se de Lucas, e Lucas o fazia lembrar-se de sexo, e sexo o deixava com a cabeça cheia de temores.

Após alguns instantes Lizi prosseguiu:

Msg Lizi: Você perdeu. O Kaio e o Lucas se estranharam hoje. Quase teve porrada.

Msg Derick: Sério? Por quê? – Derick ficara curioso.

Msg Lizi: Ninguém sabe, mas parece que foi o Kaio quem começou.

Msg Derick: Perdi o babado hihihi. E a Tati, como está? – questionou.

Msg Lizi: Como sempre.

Msg Derick: O que quer dizer que continua louca – brincou.

Alguns instantes de pausa.

Msg Lizi: Você vai ir na segunda? Vão apresentar a mascote do time de futebol.

Msg Derick: Espero que sim – ele responde.

Msg Lizi: Nos vemos então, vou deixar você descansar. Beijos – Ela se despede.

Msg Derick: Beijos. – ele retribui.

Derick desliga o celular, levanta-se e vai ao banheiro sentindo calafrios. Volta zonzo, parecendo flutuar. A febre retornara. Ele deita-se e tudo parece rodopiar. Começa a cochilar quando é interrompido por uma nova mensagem no Whatsapp:

– Oi. Tudo bem?

Ele esfrega os olhos para visualizar melhor, o coração acelera. Era Kaio do outro lado, sua foto sedutora ilustrava o perfil. Mas afinal, o que ele poderia querer?

Notas Finais

O que será que o Kaio quer?

O que será que tem na sacola?

O que vai acontecer na segunda?

E principalmente, o que você está esperando para ir descobrir????

 

About gayson

Check Also

Confusões no Colegial – Capítulo 9 – Suspiros

Derick subia a avenida com os braços entrelaçados em volta de si. Uma brisa fria …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *